Onde estou agora: Nova Zelândia

Top

Aprendendo a pilotar em Seattle

Voar.

Queria que essa fosse a primeira palavra do meu blog. Eu tanto sonhei com esse verbo, que agora ele está começando a fazer parte da minha rotina diária. Pode ser o primeiro passo, mas está sendo um dos passos mais significantes e espetaculares da minha vida!
Estou aprendendo a pilotar em um Cessna 172, com meu amigo Felipe, o que faz que eu ou ele esteja sempre aproveitando as lições e a paisagem do assento traseiro enquanto o outro está em comando.
Voar sobre a área de Seattle é uma das experiências mais lindas que um piloto pode ter. Essa área é toda banhada por canais de águas do Pacífico, rios e lagos. E de todos os lugares se avistam as cadeias de montanhas nevadas que aparecem como pintura na paisagem. O ponto mais alto é um majestoso vulcão, Mt Rainier, que deslumbra com sua altura, brilho e perfeito cone. Estou aprendendo a voar em uma excelente escola chamada Wings Aloft, situada no aeroporto Boeing Field, que como o nome indica, é desse aeroporto que decolam a maioria dos primeiros voos dos grandes boeings.
No meu primeiro dia de voo, enquanto eu fazia o checklist, vi decolar na minha frente o novo e maior cargueiro 747-800, e logo depois a decolagem do 787 Dreamliner, o mais novo e moderno avião de passageiros do mundo. Mesmo estando mais perto como nunca desses aviões, é de impressionar o silêncio com que decolam com aquelas turbinas!
Entre um voo e outro, vi o aquecimento (e como esquenta!) e decolagem do supersônico T-38 da Força Aérea americana. E depois tive que esperar na fila pra um pouso de um hércules C130… Rotina básica!
A movimentação do aeroporto é intensa, cheia de novidades. Outro dia vi o avião da turnê do U2, fora outros aviões incríveis. O mais sensacional é dividir o rádio com os pilotos dessas máquinas. Como o aeroporto tem duas pistas, hoje eu pousei quase ao lado de um Cargueiro 737. Fui informado pela torre de controle pra ter cautela com o arrasto que esses bichos induzem… Aliás desafio maior do que pilotar pra mim está sendo acompanhar toda a comunicação entre a torre de controle , os aviões no trafego , e eu mesmo. Mas dominar isso é fundamental pro meu primeiro voo solo, que não deve tardar muito… Tenho muito mais coisas pra compartilhar, mas a consciência fala mais alto e tenho que voltar a me preparar para a Conferência em Toronto, Canadá onde vou apresentar o trabalho do Simulador de voo da UFMG.
To Fly. I wanted this was the first word of my blog. I have dreamed for so long with this verb, that now it’s stating to be part of my daily routine. Can be the first step, but it’s one of the most significant steps of my life! I’m learning to fly in a Cessna 172 with my friend Felipe, what makes me or him always take advantage of the lessons and the landscape from the back seat while the other is in command. Flying over the Seattle area is one of the most beautiful experience that a pilot can have. This whole area is surrounded by channels of the Pacific waters, rivers and lakes. And from everywhere one sees the cascades of snowy mountains that appear as painting the landscape. The highest point is a majestic volcano, Mt Rainier, which dazzles with it’s height, brightness and perfect cone. I’m learning to fly in an excellent school called Wings Aloft, located at Boeing Field airport, as the name indicates, it’s from this airport where most of the first flights of the big Boeings take of. On my first day of flight, as I did the checklist, the new and improved 747-800 freighter took of in my front, and little later the 787 Dreamliner, the most modern airliner in the world.Even if I’m closer than ever from these aircrafts, it impresses thesilence with which they take off with those turbines! Between one flight and another I saw theheating (It’s hot!!) and takeoff of the supersonic T-38 from U.S. Air Force. And then had to wait in line for the landing of a Hercules C130Basic routine! The movement of the airport is intense, full of novelties. Another day I saw an airplane from the U2 tour, and other amazing aircrafts. It’s pretty nice to share the radio with the pilots of these machines. Since the airport has two runways, today I almost landed beside a 737 freighter. I was informed by the control tower to be careful with the drag that these machines induces … A greater challenge than piloting for me is to handle with all communications between the control tower, aircrafts in the traffic, and myself. But mastering it is essential to my first solo flight, which should not take too long … I have more things to share, but the conscience speaks louder and have to go back to get ready for the conference I go in Toronto next week where I will introduce the work of the flight simulator from my university – UFMG.

, , , , ,

5 Comentários à Aprendendo a pilotar em Seattle

  1. Lucas 27/04/2014 at 23:20 #

    Num é que você razão, Gusti! Realmente, muita gente não realizam seus sonhos por ter deixado pra lá, pensado que é impossível e desistido, enquanto outros, por perseverança, acabam conseguindo, simplesmente porque nunca desistiram! Pela sua resposta, percebo que a paciência seja um elemento crucial na busca de um sonho, mesmo não tendo mencionado-a explicitamente…. refletindo nisso, a falta de paciência faz a gente tomar rumos errados, e se é muito forte faz o sonho virar uma obsessão … agora me dou conta de que isso foi de certa forma a minha experiência, pois a impaciência tornou tudo mais árduo e tristemente penoso, e por isso me pergunto se estaria onde estou hoje se não fosse por certos “fatores extrínsecos imprevistos” que me ajudaram imensamente a persistir e não fazer besteiras… Mas mesmo com essas ajudas, a realização de um sonho ainda depende da nossa persistência pra seguir em frente e perspicácia pra discernir a oportunidade certa, não é isso? Valeu pela sua resposta Gusti! Isso me provocou uma ótima reflexão!

    Abraços!

    • Gusti 28/04/2014 at 17:08 #

      Lucas, não só a paciência é importante mas também a paz de espírito de saber que você está buscando o seu sonho, está no caminho de sua realização, independente do tempo que levar. Ter um sonho, um objetivo principal definido pode ser complicado as vezes quando ele te tira do momento presente. Acho importante manter o sonho mas ao mesmo tempo saber aproveitar o caminho, mesmo com todas as suas pedras (e suas doses extras de paciência)…

      Abração!

      • Lucas 30/04/2014 at 00:27 #

        Disse tudo, Gusti! Não vejo nada a acrescentar!

  2. Lucas 15/04/2014 at 22:40 #

    Imagino que até hoje você ainda sinta um pouco dessa emoção que é realizar um sonho que a gente tem desde pequeno! Emoção tão grande que não dá pra sentir de uma vez só, mas ao longo do tempo… e as vezes até depois de anos, quando a gente olha pra trás em retrospecção e sente aquele sentimento gostoso de realização, mas principalmente de gratitude para com a vida. Gratitude, pois apesar de todo o suor derramado para conquistar esse sonho, a gente sabe que se não fosse aquele empurrãozinho dessa mão invisível pra alinhar as estrelas e colocar universo ao nosso favor, pra gente estar no lugar e na hora certa, provalvelmente não estaríamos onde estamos hoje. Mas é isso ai, Gusti!

    E quando é que você deve pilotar de novo? Imagino que já esteja com saudades de voar!

    Abraço!

    • Gusti 23/04/2014 at 04:29 #

      Lucas a minha matéria favorita na escola era física. E a lei que mais me chamou atenção foi a tal da lei da atração e reação. Eu acredito que se se você pensa constantemente em um sonho e acredita nele, logo você começa a trabalhar em um plano para sua realização e enquanto você trabalha nesse plano, você tem aquele plano lá no canto da sua cabeça então quando uma oportunidade surge, vc só a reconhece como oportunidade porque vc mesmo se colocou no caminho dessa oportunidade. O que você chama de empurrãozinho dessa mão invisível só acontece quando você pede por ela. Você a atrai! Quanta gente deixa oportunidades passarem porque simplesmente não acredita suficientemente em um sonho? As vezes tem que sim, estar no lugar certo e na hora certa, mas somente você pode se levar a esse lugar e à essa hora. É o que acredito!

      E sim, estou com muita saudade de voar! Já não vejo a hora de voltar a pilotar!

      Um abração!

Me diga o que achou, deixe um comentário abaixo: