Onde estou agora: Nova Zelândia

Top

De Seattle, à Monterrey, CA

Nessa parte da América o tempo parecia não dar trégua. Depois de chegar em Seattle do Canadá, parecia que eu nunca conseguiria voar daquela região. Hoje, de manhã cedo, com os olhos ainda entreabertos, olhei da janela para o lago onde estive vivendo e vi aquela camada de neblina dando um toque de surrealidade na superfície do algo. Do outro lado eu podia ver os pinheiros e as árvores com suas folhas de outono, como que flutuando, brilhando pelo sol. Então eu disse pra mim mesmo: É hoje! A previsão do tempo não falhou e a mãe natureza mandou essa janela de bom tempo nesse domingo para podermos sair de Seattle. Não sem antes de descongelar a asa do avião que estava coberto de gelo que acumulara durante a noite! Foram quase quatro horas e meia de voo, atravessando todo o estado de Oregon com suas gigantescas árvores (as maiores do mundo!) até o primeiro aeroporto onde paramos para abastecer, em Crescent City, Califórnia. Como o mau tempo está caminhando para aquela região decidimos, seguir até Monterrey, CA. Em termos de navegação, foi o voo mais fácil pra mim até hoje, porque fomos seguindo a costa do Oceano Pacífico. Eu queria descrever um pouco o cenário, mas acho que vou deixar você, que de fato ta seguindo o blog, cansado. Mas eu vou soltar as palavras e deixo você imaginar: Praias, montanhas nevadas, gigantescas florestas, penhascos beirando o oceano, vulcões. Tudo isso junto, com uma pitada de por do sol (que se põe no oceano, por ser O. Pacífico, claro)…

Não estou aguentando, acho que eu tenho que dizer que foi o por do sol mais bonito que vi em minha vida! Talvez a emoção do momento “força um pouco a barra”, mas as cores vermelho e alaranjado eram tão intensas e tão vastas sobre o oceano que eu comentei com o Adam: parece que o mar ta pegando fogo! E lá ele se foi… no seu caminho para dar bom dia ao povo de olhos puxados. Em pouco tempo, tudo era breu, com exceção de algumas pequenas cidades, e das estrelas. Voar a noite me da uma sensação estranha. Um misto de emoções. Parece tudo tão calmo, tão tranquilo, mas ao mesmo tempo com um potencial de ser assustador. As vezes a voz dos controladores surge nos fones como que vindo do além, e a mente começa viajar. Mas de repente as vozes se tornam cada vez mais frequentes e luzes, muitas delas, começam a se aproximar no horizonte.  Logo estamos voando ao lado de San Francisco. Tivemos que nos afastar bastante em direção ao oceano e descer para 2500 pés (de 5500) para garantirmos distância dos gigantes aviões que movimentam o aeroporto internacional daquela fabulosa e brilhante cidade. Seguimos nosso voo sobre o oceano até chegar em Monterrey onde pousamos e fomos recebidos por Lynn Johnson, irmã do meu amigo Don, que preparou um delicioso arroz com feijão e frango com seu especial tempero latino. Comer me fez sentir muito bem e já não vejo a hora de capotar nessa cama. Boa noite pra mim, bom dia pra quem desperta cedo aí no Brasil!

5 Comentários à De Seattle, à Monterrey, CA

  1. Anonymous 26/01/2012 at 15:45 #

    Bom, eu adoro pôr-do-sol e posso garantir que gostei muito da foto.
    Também gostei da sua descrição sobre voar a noite… eu que gosto do meus pés coladinhos ao chão!
    Um abraço e bons voos!
    Cristiane

    • Gustavo Junqueira 26/01/2012 at 16:41 #

      Olá Cristiane! Muito obrigado pelo comentário! Eu te conheço de algum lugar? “Volte sempre!”
      Um abraço!

  2. Gustavo Junqueira 22/11/2011 at 03:51 #

    Ta postado Felipe!
    🙂

  3. solange 21/11/2011 at 21:10 #

    Nossa!!! É melhor vc criar novas palavras para maravilhoso, deslumbrante, incríivel pois sua trajetória será indescritível,assim como a mãe nastureza o é,se nas fotos, imagino ao vivo, chegando bem pertinho de DEUs.

  4. Anonymous 21/11/2011 at 09:55 #

    Depois tem que postar a foto do por do sol! Já vai pra San Diego weather permiting ou tenta o Arizona de uma vez?

    Felipe

Me diga o que achou, deixe um comentário abaixo: