Onde estou agora: Nova Zelândia

Top

Um pequeno resumo da minha viagem pelo Peru, Bolívia e Chile

Peru Jan 2010

Segue o e-mail que mandei para os meus pais e amigos em Janeiro de 2010, de uma lan-house em San Pedro de Atacama, algum tempo antes desse blog nascer:

Estou no deserto do Atacama em San Pedro do Atacama, Chile. Cheguei essa manhã do litoral do Pacifico, Arica. Esse vilarejo é quase um oásis no meio do deserto, com árvores e passarinhos cantando o tempo todo. Eles parecem celebrar a oportunidade de um verde de uma árvore ou o frescor de uma água.

Devem saber que isso é raro por aqui…

Todas as construções são simples, feitas de pedras vulcânicas aparentemente, com barro. Ao redor desse vilarejo parece que vemos uma grande pintura rupestre, rodeada por vulcões e serras com cores avermelhadas. Amanhã, começaremos a cruzar o deserto com um jipe por 3 dias até chegar ao Salar de Uyuni, na Bolívia. Passaremos por vulcões, águas termais, geisers, piscinas verdes naturais, deserto de sal etc… Mochileiros que encontramos na Bolívia e no Peru dizem que é um dos passeios mais belos do mundo, ”a ber a ber“ como dizem os peruanos.

Hoje e o décimo terceiro dia da nossa jornada, e já cruzamos 3 países em muitos quilômetros de ônibus e trem. A maioria das noites estamos passando em ônibus. E nesse tempo já conhecemos Santa Cruz de la Sierra, La Paz, Copacabana, Cuzco, Águas Calientes, Machu Picchu, Arequipa, Tacna e Arica.

Machu Picchu, mesmo sendo minha segunda ida me surpreendeu. Subimos por trilhas incas uma montanha chamada Waina Picchu que se avista todo o vale sagrado e as ruínas de Machu Picchu. Para chegar ate Águas Calientes e economizar no trem pegamos um “ônibus“ que passava por uma estrada que beirava precipícios e cachoeiras. A paisagem era incrível e o motorista merecia aplauso quando aparecia outro carro vindo na direção oposta e tinha que fazer muitas manobras pra seguir a viagem. Chegamos até a base das montanhas de Machu Picchu onde por mais 11 lindos km seguimos caminhando pelos trilhos de trem passando por pontes sobre rios bem agitados para chegar até o o povoado de Águas Calientes. Todos vocês deveriam um dia conhecer aquele lugar. É de tirar o fôlego!!!

Mas a grande surpresa foi o trekking de sábado. As 3 da manhã, saímos de Arequipa em direção as cordilheiras andinas na parte que chamam de Canion de Colca. E por la que dizem que o gelo derrete e nasce o Rio Amazonas. O ônibus nos deixou a mais de 4 mil metros de altitude as 10 da manhã, e começamos a caminhar com um guia local, pessoa muuuito bacana e simples, pelos vales do cânion. Para quem não sabe, Cânion de Colca e o maior cânion do mundo com mais de 4 mil metros de Altitute em sua maior parte!

Começamos a caminhada do topo onde a mais de mil metros abaixo avistamos um oásis ao lado de onde passava o rio com árvores  verdes e piscinas que se destacavam naquela paisagem desértica. Quatro horas de caminhada depois chegamos a um povoado onde em um ambiente familiar almoçamos muito bem sopa, carne de alpaca e chá de coca. Tudo é muito tranquilo e é incrível como eles utilizam os terrenos ingrimes para o cultivos de suas plantações e criação de animais como llamas, alpaca e porcos, tudo é cuidadosamente cercado por meio metro de muros de pedras sobre pedra, sem massa entre elas.

Tudo numa tranquilidade assustadora, parece cenas de filme, paisagens cinematográficas com as “chollas” levando suas crias ou animais e ou comidas em suas sacolas de todas as cores pelas costas, os senhores e seus fieis burricos que nos cumprimentavam em quechua ou espanhol… Mais quatro horas de caminhada depois chegamos na base da cadeia. Por ambos lados cercados pelos cânions de mais de mil metros altitude, é um verdadeiro oásis.

O lugar que nos hospedamos chamava paraíso. Tinha cascatas e piscinas de águas naturais que não eram geladas devido a provavelmente a região ser ricas por vulcões. Os quartos eram de pedra, teto de palha e chão de terra batida, não havia eletricidade. Banheiros em cabines la fora, me fez lembrar onde você deve ter nascido pai. O jantar foi à luz de velas .

Muitas palmeiras deixavam o lugar com um aspecto realmente paradisíaco! As quatro da manhã do dia seguinte acordamos para a subida do cânion. Todo caminho pra cima com mochilas nas costas não era nada com o que a paisagem nos oferecia. Chegamos em uma comunidade chamada de cabanaconde onde tudo muito bem arrumado com suas pedras, era também cercado por aquela paisagem das cordilheiras andinas. Ali almoçamos e caminhamos por campos de plantações de milho e etc até onde o ônibus nos buscou para fechar o passeio com chave de ouro em piscinas termais de temp de aprox 40 graus!

Foi um final de semana inesquecível com contatos e aprendizagens com trekkers de todo o mundo e um guia que apesar das simples origens e da falta de oportunidade na vida conhecia sobre pessoas e lugares de todo o mundo e podia arranhar aproximadamente seus 5 idiomas… Para efeito de curiosidade o guia particular para nós 5, alojamentos, almoço, jantar, café da manhã, banhos nas piscinas, 12 horas de ônibus saiu por aproximadamente 50 reais. O aprendizado de tudo aquilo, realmente não tem preço!!!

Amanhã será mais um dia de surpresas. Definitivamente nenhum telefone muito menos internet por aquelas bandas…
Espero que tudo esteja bem. Saudade de todos vocês!!!

As fotos do deserto de Atacama e do incrível e surreal Salar de Uyuni, falam por si:

Desierto de Atacama / Salar de Uyuni (Chile/Bolivia) Jan 2010

, , , , , , ,

2 Comentários à Um pequeno resumo da minha viagem pelo Peru, Bolívia e Chile

  1. Johnny 30/03/2015 at 10:59 #

    Esse lugar deve ser mesmo incrível. A América do Sul tem belezas que não se encontra em nenhuma parte do mundo!!!

    • Gusti 28/04/2015 at 04:41 #

      Sim Johnny, viajar pela América do Sul foi uma das minhas primeiras e as lembranças são bem especiais!

Me diga o que achou, deixe um comentário abaixo: