Onde estou agora: Nova Zelândia

Top

5 formas para se hospedar de graça em todo o mundo

Uma das principais desculpas que escuto para não viajar, principalmente no Brasil, é a falta de grana. Quando eu falo o quanto eu gasto numa viagem geralmente não acreditam e perguntam, como é possível? O mundo é cheio de possibilidades e se você estiver disposto a conhecê-lo vai descobrir que viagem de baixo custo (e por que não, de graça!?) é mais possível do que você imagina. Talvez você tenha que abrir mão de conforto, mas você pode também se surpreender dormindo de graça em um lugar mais confortável do que em um hotel cinco estrelas ou na sua própria casa.

Como hospedagem é geralmente uma das partes mais caras de uma viagem, separei cinco formas para conseguir um lugar para dormir de graça. Mesmo que sua intenção seja apenas economizar dinheiro, se você for de cabeça aberta, vai perceber que o que você ganha fazendo amizades e conhecendo outras pessoas, supera qualquer outro benefício ou receio.

1. Comunidades de hospedagem:

São comunidades de troca de hospitalidade. Couchsurfing é sem dúvida minha comunidade de hospedagem preferida. Não é o mais velho nem o único, mas é o que mais tem pessoas no mundo. Quando eu começo a falar sobre esses grupos para quem não conhece, a reação é geralmente no mínimo uma sobrancelha arqueada de surpresa ou mesmo receio. Quem já usa com frequência e entende como funciona, sabe que não há motivos para medo ou apreensão. Confira aqui as melhores dicas para você aproveitar ao máximo essa comunidade!

Couchsurfeando em Luxemburgo

Couchsurfeando em Luxemburgo

Outras comunidades:

Hospitality Club: Com uma interface mais simples, vi muita gente migrando para cá, decepcionadas quando o fundador do couchsurfing o transformou em corporação. O único problema aqui ainda é o alcance de lugares e número de pessoas inscritas no mundo. Não quer dizer necessariamente que seja mais difícil encontrar anfitriões, talvez seja ainda mais fácil nas cidades maiores.

Servas: Servas é um grupo mais exclusivo e fechado, mas para quem tem preocupação excessiva com a segurança talvez seja a melhor opção. Aqui da Tailândia onde estou no momento escrevi um e-mail para o responsável na minha região no Brasil e o desafio começou porque eu já não moro mais lá. Ainda assim fiz contato com o responsável em Minas Gerais onde meus pais moram e fui informado que é necessário agendar uma entrevista e ela é obrigatório para todos os membros. Enquanto não volto para o Brasil não posso contar com essa opção. É um pouco mais complicado, mas é uma opção a mais. Por você não ter um perfil on-line como no couchsurfing acho que deve ser interessante ter o elemento surpresa de como vai ser seu anfitrião. Alguém aqui já usou o servas? Escreva nos comentários sua experiência!

Global FreeLoaders: Quando eu vi esse nome pela primeira vez achei estranho. Freeloaders traduzindo significa algo como “aproveitador sangue-suga”, exatamente o tipo de gente que a maioria tenta evitar quando hospeda alguém. Se você tem preguiça de procurar um amigo e realmente só quer um lugar de graça para passar a noite, talvez essa seja sua melhor opção. Apesar do nome, no site eles se descrevem de uma forma mais amigável: “GlobalFreeloaders.com é uma comunidade on-line, reunindo pessoas para te oferecer alojamento grátis em todo o mundo. Economize dinheiro e faça novos amigos, enquanto vê o mundo a partir da perspectiva de um local!”

Warm Showers: Uma opção para quem curte ciclismo.

2. Acampe

Não espere muita privacidade na hora do banho!

Não espere muita privacidade na hora do banho!

Acampar nem sempre é uma opção gratuita, aliás, geralmente pode ser mais caro do que se hospedar em uma pousada como verifiquei recentemente no litoral da Bahia. Se você tiver paciência para procurar, muitas vezes dá para achar lugares incríveis para você se hospedar. Você não paga nada e pode ter uma paisagem que poderia custar algumas centenas de reais se fosse em um hotel. Pense numa praia deserta ou uma fazenda por exemplo. Acampar é mais divertido com amigos ou com uma parceira ou parceiro. Não subestime o tempo de panejamento e seja criativo na hora de pensar em banho, cozinha e banheiro.

Acampamento proibido

Na manhã seguinte, quando acordamos, tivemos a surpresa: Não podíamos acampar ali.

Com meus amigos de intercâmbio de trabalho nos Estados Unidos arranjamos um voo muito barato de Seattle para Maui no Havaí. Quando decolamos de Seattle, a cidade estava coberta de neve e algumas horas depois nos sentimos chegando no paraíso depois de passarmos tanto tempo trabalhando na neve. Éramos sete pessoas e levamos duas barracas. Alugamos um carro grande e passamos nossos dias dirigindo ao redor da ilha, acampando nas praias, sempre de graça, em cenários impressionantes, passando por cachoeiras e até pelo vulcão da ilha. Geralmente nos EUA é proibido acampar nas praias, mas se não tiver nada escrito, não acho que você vai ter problema. Quando a placa existe e você não vê, aí sim o problema é garantido. A não ser que seu carro pife…

Em um dos dias quando chegamos no lugar onde queríamos acampar já era de noite e acabamos não vendo a placa de proibido acampar. A nossa sorte foi que a bateria do carro acabou durante a noite e quando um fiscal chegou, usamos a desculpa da bateria e ele acabou sendo bem amigável e nos trouxe uma chupeta para fazer o carro funcionar e não nos deu nenhuma multa. Não conte com a sorte, certifique-se de que você pode acampar onde deseja e nunca deixe de procurar e pedir para a dono da terra (se é que tem um).

Despertar num lugar assim as vezes não tem preço: É de graça!

Despertar num lugar assim as vezes não tem preço: É de graça! – Acampando no Havaí.

3. Tomar conta de casas

Você já imaginou poder viajar para vários países do mundo, principalmente os mais ricos e ao invés de pagar fortunas em hotéis, ter a sua disposição todo o conforto e a privacidade da casa de alguém que mora no local, enquanto o próprio dono viaja?  Imagine se você pudesse tomar emprestado a perspectiva de um local por algumas semanas ou meses, se sentir parte da vizinhança e da dinâmica de um bairro e de uma cultura diferente da sua, sem pagar nada! Foi assim que me hospedei de graça por um mês na França. Confira aqui todas as minhas dicas para você também conseguir uma oportunidade assim!

Como no Couchsurfing, quanto mais referências você colecionar, maiores suas chances de ficar num lugar bacana. Tem gente que vive fazendo isso e viaja dessa forma pelo mundo todo, como o casal Darlene e Peter Heck. Eles inclusive escreveram um livro (em inglês) ensinando a viajar dessa maneira. No blog deles, da pra encontrar muitas dicas úteis se não tiver afim de comprar o livro. Outra fonte boa de informação é o blog The Professional Hobo. Quem o escreve é Nora Dunn que desde 2007 está também vivendo viajando pelo mundo.

Pelo que tenho visto, geralmente a única coisa a pagar é a taxa anual que varia entre U$20 e U$60 para o site que te conecta com os donos de casa. Alguns deles:

Trusted House Sitters: (Esse é o meu preferido e se você assinar usando esse link você ganha um desconto de 15%)

Caretaker Gazette

Mind My House

House Carers

House Sitting Worldwide

HouseSit Match

Ainda uma outra opção seria trocar sua casa com alguém durante suas férias. Como não tenho uma casa ainda, nunca tentei. Tenho uma amiga em Los Angeles que em todos os anos ela fica em algum lugar no mundo na casa de alguém enquanto esse alguém fica na casa dela. Até o carro eles deixam a disposição! Não sei como isso funcionaria no Brasil e tenho curiosidade em saber se alguém já fez ou conhece alguém que participa desses programas.

Tem que ter um pouco de coragem de deixar sua casa e todos os seus pertences nas mãos de alguém estranho, mas lembre-se que é você que vai tomar conta da casa da pessoa que está ficando na sua. É uma via de mão dupla e a confiança tem que ser mútua. Uma boa fonte de informação: Esse artigo escrito pela vagamunda Nora Dunn.

4. Monastérios

Meu quarto num monastério budista na Tailândia

Meu quarto num monastério budista na Tailândia. Eu mencionei que meu travesseiro era de madeira?

Monastério? Isso mesmo! Você não precisa ser religioso para aproveitar a tranquilidade e paz de um monastério. Seja budista, católico, ortodoxo, existem diversos monastérios no mundo e muitos deles para minha surpresa te hospedam de graça ou por uma doação se quiser.

Eu só me dei conta dessa possibilidade quando recentemente fiz um retiro do silêncio por 10 dias em um monastério budista na Tailândia. Embora eu tenha pago um pouco mais de R$100 para 10 dias de estadia, incluindo alimentação, hospedagem e o curso de meditação, antes de começar o retiro eu pude ficar de graça no alojamento coletivo do monastério. Está aberto a todos e você não tem que pagar nada, nem participar de curso nenhum. E pode ficar quanto tempo quiser. A acomodação é muito simples e a refeição (R$2) é bem deliciosa e nutritiva (vegetariana). Para quem se interessar, entre no site, ou me escreva suas dúvidas nos comentários.

Essa é apenas uma opção na Tailândia. Procure no google por Monastery Stay e você vai encontrar um mundo de opções. No excelente  blog do Nomadic Matt encontrei alguns links que podem te ajudar se estiver interessado (todos em inglês):

Como se hospedar em um monastério

Estadia em monastérios

15 excelentes estadias em monastérios

Artigo na CNN sobre estadia em monastérios

Apesar da acomodação simples, o monastério é envolto por uma natureza exuberante, montanhas rios de água quente, coqueiros e frutas tropicais.

Apesar da acomodação simples, esse monastério na Tailândia é envolto por uma natureza exuberante, montanhas e rios de água quente, coqueiros e frutas tropicais.

5. O mais antigo deles: Bata na porta (ou mande e-mail):

Se você for viajar e parecer que os métodos acima falharam, não esqueça desse, afinal é o mais antigo de todos e antes mesmo de existir hotéis e albergues, os peregrinos só tinham essa forma para encontrar um lugar para passar a noite. Muitas culturas se orgulhavam de sua hospitalidade (e ainda orgulham) e um exemplo radical está no livro Tuareg, que eu recomendo a ler. Aproveite a tecnologia e se possível, em vez de bater na porta, mande e-mails ou mesmo telefone.

Procure na internet atividades ou grupos que te interesse no seu destino. Comunique-se, deixe claro suas intenções (fazer amizade, conhecer pessoas que fazem alguma coisa que você admira) e então aproveite e peça um lugar para dormir! Tem que ser um pouco cara de pau, mas quando você envia um e-mail, não tem necessidade de sentir tanta vergonha assim. Quando eu fiz pela primeira vez, eu era muito tímido  mas foi assim que garanti minha hospedagem sem pagar nada e conheci os primeiros locais.

Quando embarquei pela primeira vez  para fora do país eu nunca tinha escutado de couchsurfing ou de nenhum outro programa de hospedagem gratuita. Procurei na internet e hospedar barato sempre vinha acompanhado da palavra hostel, que então descobri, significava albergue. Era o final de 2007 e eu estava indo para Seattle, no canto noroeste dos EUA para trabalhar em uma estação de esqui, sendo o programa Work & Travel a única alternativa financeiramente viável na minha cabeça para eu realizar meu sonho de viajar para fora do país (um engano). Já que parte  do dinheiro era emprestado (no banco e com meu avô), eu tinha uma pressão muito grande  de devolver rapidamente aquela quantia e fui para os EUA com a mão mais fechada possível. (Uma na frente e outra atrás na verdade).

Um albergue em Seattle, custava aproximadamente U$30/noite e como eu teria que ficar alguns dias lá até chegar o dia de subir a montanha com o ônibus  da estação de esqui, eu me preocupei. 60 Reais era muito dinheiro para mim e eu não conseguia parar de pensar que somente com hospedagem para 5 dias eu gastaria todo meu salário de um mês trabalhando em uma corretora de seguros no ensino médio. Ou pior ainda, um dia de estadia significaria vender 300 bombons no colégio, como eu fazia!

Comecei a fuçar a internet e tive a “ideia” mais primitiva possível: Pedir abrigo. Não tive que bater em nenhuma porta, com a internet, tive que apenas mandar alguns e-mails.

Seattle, WA
Vista da casa em que me hospedei de graça em Seattle, WA

Como ser piloto de parapente ainda era um sonho, procurei na internet pelas escolas de parapente perto de Seattle e mandei e-mails me apresentando, mostrando que eu queria muito aprender a voar de parapente, conhecer pilotos na região e… que eu procurava um sofá para passar algumas noites. A resposta não demorou a chegar e um dono de uma escola de parapente me pôs em contato com seu aluno que morava no centro de Seattle, que me garantiu que eu seria bem-vindo à sua casa!
Como todo vagamundo de primeira viagem, não nego que minha apreensão era enorme. Sem falar inglês direito, e pela primeira vez colocando os pés em um país diferente eu me surpreendi aprendendo o que realmente significava hospitalidade. Meus anfitriões tiveram toda a atenção e paciência comigo. Me deixaram dormir no quarto de seu filho, que já não morava lá, quando eu na verdade esperava apenas um sofá. Me levaram para jantar, me mostraram a vizinhança e me deram a chave da casa para eu sair enquanto eles trabalhavam durante o dia. Minha anfitriã era médica e por isso me deu o número de telefone de seu consultório e pediu para eu me identificar como Doutor com sua secretária, para que eu fosse atendido na mesma hora, se precisasse. Me deram informações de ônibus, o que e como ver na cidade, e graças a eles aproveitei bastante aqueles dias.

Quando bater na porta (literalmente) é a única opção:

No ano seguinte, na minha primeira viagem pela América do Sul, eu e um amigo resolvemos escalar um vulcão de quase 6 mil metros de altura, no Peru. No caminho de volta nos perdemos e chegamos no vilarejo mais próximo tarde na noite e o ônibus que poderíamos pegar para voltar para a cidade de Arequipa passaria apenas no dia seguinte.

Na base de um vulcão, Cachamarca é um vilarejo no meio do nada e hotel seria a última coisa disponível naquele lugar. Energia elétrica, por exemplo, era um luxo que tinha chegado por lá recentemente. Muito cansados, batemos na porta de um casal de senhores que conhecemos na ida ao vulcão e eu nunca vou esquecer o carinho e atenção com que nos receberam. Elza, a senhorinha, tomou conta da gente como se fôssemos o filho que tinha retornado à casa depois de muito tempo distante. Eles moravam em uma casa muito simples de um cômodo só, construída com pedras vulcânicas, e chão de terra batida. Em uma cabana eles guardavam as colheitas e as ferramentas de plantio. Ali mesmo, com peles de alpaca, eles prepararam no chão para a gente a “cama” onde passaríamos a noite. Cansados como estávamos, aquilo pareceu a cama mais confortável do mundo. Fizeram questão de nos preparar sopa e chá e garantiram que não passaríamos frio num lugar onde a temperatura cai facilmente para menos de zero durante a madrugada.

Em todos esses casos é importante mostrar sua gratidão. Quando você sentir que as palavras não são suficientes, talvez um presente ou se oferecer para ajudar em alguma coisa pode ser uma alternativa, mas foi difícil convencer aquelas pessoas a aceitarem a minha lanterna de presente. Quando finalmente aceitaram e nos despedimos, eu senti um entalo na garganta. Eu não sabia que uma despedida após uma convivência tão breve poderia ser tão difícil, ainda mais sabendo que nesse caso, não existia a possibilidade de um telefonema e muito menos um e-mail para matar a saudade depois.

O senhor que nos hospedou em um vilarejo isolado.
O senhor que nos hospedou em um vilarejo isolado, no pé de um vulcão, no Peru.

Hoje em dia nas minhas viagens, hotel é a minha última opção. Não só porque eu quero economizar dinheiro mas porque eu conheço opções muito mais divertidas.

Agora que você também já sabe, lembre-se que a próxima vez que você “reservar” uma acomodação de graça vai vir incluso a possibilidade de amizades e experiências marcantes.

Você que chegou até aqui, já usou algumas dessas possibilidades? Como foi sua experiência? Alguma dúvida? Deixe seus comentários.

Se você conhece algum amigo ou alguém que possa gostar dessas informações, por favor, compartilhe esse artigo.

, , , , , ,

61 Comentários à 5 formas para se hospedar de graça em todo o mundo

  1. Pedro Henrique 12/06/2017 at 00:24 #

    UOOuu, estou muito afim de fazer umas viagens dessas não importa o lugar, sabe de blogs, sites ou grupos que tenha uma galera que se junte para ir?!

  2. Alessandra Maria Alves 03/06/2017 at 14:10 #

    Estou impressionada com as suas aventuras…hahaha!
    Comecei agora (apesar da idade) a pesquisar sobre viagens, hospedagem e formas de estudar fora e, parei aqui.
    Espero poder por em prática meu planejamento e conto com as suas dicas.

    Parabéns pelo blog (e pela coragem…rs)!

    Um forte abraço!

  3. Andrea 02/04/2017 at 21:37 #

    Achei ótimo realmente animador é incrível está possibilidade, a vida é tão curta passa tão rápido e mau podemos aproveitar por causa sempre do financeiro que pega, essa é uma porta que se abriu vou tentar programar com fé para ir com meu marido!! Obrigada! Ah Lu seu texto sobre seu post dos Gays e me identifico! Tem um e-mail? Obrigada

    • Gusti 15/05/2017 at 01:01 #

      Isso mesmo Andrea! Sim, Gustavo at o nome desse site Abraço!

  4. mikaely 19/02/2017 at 14:55 #

    Cara, o impressionada!
    Serio mesmo!
    To me planejando para um mochição na europa, mas a grana ta beem curta. Suas dicas são otimas, gostaria de tirar algumas duvidas com vc por emial, é possivel.?
    mikasoares203@gmail.com

    • Gusti 18/03/2017 at 08:42 #

      Sim… Gustavo @ o nome desse site ponto com

  5. Matheus luiz 13/12/2016 at 19:01 #

    Oi, achei muito legal suas experiências e fique sabendo que vc vai servir de exemplo pra mim com certeza, sou grato pelo que eu li sobre vc e te agradeço bastante… tenho 17 anos e tenho o sonho de conhecer diversos lugares no mundo… mais eu achava impossível pois seria bem caro, mais vc me fez ver que nao preciso de muito dinheiro pra conhecer lugares maravilhosos… teria um Facebook pra gente poder conversar melhor ?

    • Gusti 18/03/2017 at 08:30 #

      Oi Matheus, tenho face sim mas fico com dificuldade de responder no ritmo que tenho viajado. Busque por Vagamundagem ou Gusti Junqueira

  6. Kelly Meneses de Matos 10/12/2016 at 16:45 #

    Gostei muito se tudo que li aqui!!! Se um dia quiser uma companhia me convida viu!! Kkkk.
    Como te encontro no couchsurfing?

  7. Joseph Brando 24/10/2016 at 10:46 #

    CARA, MARAVILHOSA AS EXPERIÊNCIAS!!
    Me senti como se estivesse vivendo contigo ao ler.
    queria muito ter a experiência de fazer uma viagem assim, acampar sempre foi um dos meus sonhos! pena que as pessoas do meu meio não topam esse tipo de aventura 🙁 rsrs AMEI!

    • Gusti 18/03/2017 at 08:11 #

      É só começar a viajar que vc vai encontrar as pessoas de outros meios para te acompanhar Joseph! Boa sorte!

  8. IVANA 10/10/2016 at 14:41 #

    OI, Gustavo… muitíssimo obrigada por compartilhar esses informações tão valiosas aqui com a gente… ja estava quase desistindo de ir para a Thailandia em Janeiro. Você disse que ficou em um mosteiro budista por lá…. tem alguma dica? Meu marido é treinador e pretende se aperfeiçoar, será que é possível conciliar? Você tem alguma sugestão?

    • Gusti 18/03/2017 at 08:04 #

      Procure por wat suann mokkh, começa todo primeiro dia do mês!

  9. Matheus Brito 10/08/2016 at 15:38 #

    Olá amigo, qual email para tirar mais duvidas?

    • Gusti 18/03/2017 at 06:59 #

      Gustavo @ o nome desse site ponto com

  10. Thais Buiat 08/08/2016 at 09:58 #

    Olá Gustavo! parabéns pelo Blog, ótimas dicas! Meu marido e eu decidimos nos programar para fazer essa viagem, sempre foi nosso sonho e chegou a hora de colocá-lo em prática! Sairemos sem data para voltar!

    Então, estamos começando a pesquisar blogs, dicas etc para estar bem preparados no momento de sair efetivamente! Ainda está um pouco longe, nos programamos para sair em 2018, inclusive para termos bastante tempo de organizar tudo!

    Com relação ao Couchsurfing, precisamos nos cadastrar e fazer amizades? como conseguimos crédito nesse meio? pois não temos histórico de hospedagem desta forma….

    Desde já agradeço!
    Abs

    • Gusti 18/03/2017 at 06:58 #

      Olá Thais, espero que já esteja curtindo o mundo… Sim é necessário o cadastro e vc pode pedir amigos para deixarem referências pessoais… Aproveite!

  11. Tathiana Affonso 13/04/2016 at 10:44 #

    Bom dia!!! Tem como me passar seu email? Gostaria de trocar mais idéias sobre viagens…

    • Gusti 12/06/2016 at 14:58 #

      Oi Tathiana, te passei por e-mail, mas respondo mais rápido por aqui ou facebook…

  12. Raquel Camargo 08/04/2016 at 13:32 #

    Ei Gustavo, tudo bem?
    Ontem peguei um uber com o senhor mais simpático do mundo, aí a gente engatou um papo super legal e descobri que o filho dele consegue colocar em prática o meu sonho: viver viajando.
    Sim, foi seu pai quem me falou do seu blog e da sua história. De cara já admiro muito sua família haha
    Parabéns pelo sucesso e pela história que está construindo na vida!
    Tudo de muito bom, continuarei acompanhando seu blog!

    Abraços!

    • Gusti 12/06/2016 at 16:06 #

      Te mandei um e-mail, fico super feliz que o tenha conhecido! 🙂

  13. Moisés 29/03/2016 at 09:44 #

    Olá, máteria muito entusiasmante a sua! como muitos também gostaria de me aventurar por esse mundo de meu Deus…
    o couchsurfing dá opções seguras pelo brasil?
    Quem sabe não posso ser um hospedeiro no futuro. Um abraço.

    • Gusti 12/06/2016 at 15:11 #

      Oi Moisés,

      Sim, é só ler as referências com atenção… Aproveite! 🙂

  14. luciana 11/03/2016 at 17:11 #

    Ola, Adorei o sei site. me ajuda; qual tem a maior oferta aqui no brasil mesmo?

  15. Gisele 05/02/2016 at 06:01 #

    Adorei! Suas histórias me deixaram encantada. Só aumentou minha sede por viagens!! Valeu pelas dicas de hospedagens, já me preparando pra testar algumas. 🙂

    • Gusti 12/06/2016 at 16:17 #

      Aproveite e boas viagens Gisele! 🙂

  16. roberto murilo 21/09/2015 at 20:01 #

    Ola,como vai ? Gostaria de saber quando você viaja como fica a questão da permanência no país,você tem um tempo para ficar,ok,e você tem um tempo para a passagem, se você fica mais tempo e perde a passagem, você consegue um trabalho para se manter? ,e caso você seja convidado a se retirar e não tem mais a passagem,e não tem dinheiro, espera ser deportado ?ou você vai viajando e se virando em bicos por alguns trocados e tal. vou seguir você no blog,porque gostaria muito de sair por aí viajando mas não tenho dinheiro e não sei como poderia me virar,agradeço se puder me dar um alo.

    • Gusti 22/09/2015 at 15:52 #

      Olá Roberto,

      Cada caso é um caso, mas sempre que eu vou para um país eu me asseguro que tenho a passagem de volta ou pelo menos os fundo para me manter e sair daquele país. Exceto quando fiz um pedido de extensão de visto, nunca excedi meu tempo de permanência e nunca teria coragem para isso. Já fiz muito bicos durante as viagens para me ajudar a me manter mas hoje minha renda vem quase exclusivamente trabalhando pela internet. Aprimeira dica que te dou é economizar mesmo, fazer um pé de meia para você poder viajar pelo menos pelos primeiros meses para certificar que quer levar essa vida e no caminho vc pode acabar descobrindo formas de se manter enquanto viaja. Também recomendaria viajar para países mais baratos no início como o sudeste asiático, América Latina ou Leste Europeu. Volte sempre, que mais dicas estarão a caminho!

      Abraço!

    • Renan 21/10/2015 at 09:12 #

      Bom dia!

      Adorei as histórias, estou querendo ir para a EUROPA em 2016, seguindo o site Work Away, me recomenda?

      Aquele tipod e trabalho de hospedagem em casas, ajudando nas tarefas diárias 5 hrs por dia em média.

      Obrigado!

      • Gusti 12/06/2016 at 16:17 #

        Sim, é uma boa ferramenta! Aproveite Renan!

    • lari 10/01/2016 at 14:30 #

      eu queria muito saber mais sobre essa comunidade servas como faço pra saber mais, procurei na internet, mas não aparece nada, aparecem outras comunidades, mas não em relação a viagens..;/

  17. Doug 08/04/2015 at 01:03 #

    Show de bola essa matéria que vc fez, eu gostaria muito de saber se tem também essa troca de hospitalidade, aqui no Brasil.
    Seria bacana você indicar um grupo, um site pra gente. Abração

    • Gusti 28/04/2015 at 05:06 #

      Fala Doug! O próprio couchsurfing é muito bem difundido no Brasil! E acampar também não é difícil… Aproveite e boas viagens!

  18. gabryel 28/01/2015 at 17:02 #

    Mim ajuda a promover esse grupo com essa ideia de hospedagem GRATIS que pode ser uma boa ajuda para varias pessoas que gostam de viajar e não tem muita grana.
    A proposta desse grupo e para você que gosta de fazer novas amizades com pessoas de culturas e estilos e países deferente e pra você que não mora no brasil ou mora e quer conhecer outros países, e gosta de viajar e deseja fazer turismo e não quer ou não tem dinheiro pra ficar em um hotel e acha melhor ficar em uma casa de pessoas que moram e conhece a cidade de outra forma e pode te proporcionar uma visão diferente da cidade e conhecer um novo amigo que também possa oferecer um espaço em sua casa pra passar uma temporada que as duas parte podem determinar juntos e com sua regras e a principal proposta e que a hospedagem seja grátis!!!

    o nome do grupo e Turista em sua casa!!!

    • Gusti 12/06/2016 at 16:20 #

      Uhmm, esse é o propósito do couchsurfing entre outros já Gabryel…

  19. lucas 24/12/2014 at 11:06 #

    há eu tinha interesse de ir para algum litoral sudeste…

    estou lendo suas viagens… muito legal…

    Felicidades!!!

    Deus em Cristo te Abençoe!

    Lucas

  20. lucas 24/12/2014 at 10:52 #

    olá amigo! Post Muito interessante!
    Principalmente para quem não está podendo gastar muito (grana Curta)
    Aqui… eu gostaria de conhecer no brasil especialmente na região sudeste e sul lugares para me hospedar concernente ao pessoal evangelico (cristão evangelico, protestante, etc).

    Gostaria de algumas dicas se vc tiver e por ventura contatos sendo possivel.
    Gostaria de fazer alguns passeios aproveitando esse resto e inicio de ano, etc.

    Seria possivel vc olhar alguma coisa para mim?

    Talvez exista acampamento evangelico, sitio, fazenda, etc retiros, sei lá… ou um pessoal que poderia me receber e ou hospedar a um menor custo possivel.

    gostaria de ficar por um bom periodo… trocar os ares… rs

    Um Abraço
    Boa Materia a sua.

    Deus te Abençoe e Felicidades neste restinho (finalzinho) e neste proximo Ano que adentra…

    Lucas

    • Gusti 26/12/2014 at 10:40 #

      Olá Lucas,

      Bem vindo ao vagamundagem! Se eu fosse você procuraria no couchsurfing por grupos cristãos, se não encontrar nada aconselho quando estiver procurando por um couch numa cidade específica lembrar de colocar como palavra-chave (nos filtros) os termos de busca como “cristão”, “evangélico”, etc. Mesmo que seja no Brasil procure também com essas palavras em inglês já que a maioria das pessoas têm o perfil escrito em inglês! Boa sorte e um abraço!

  21. Eduardo 16/10/2014 at 10:35 #

    Gustavo, bom dia.

    Preciso de uma dica, eu e minha esposa queremos viajar pelo Brasil de carro, uma viagem longa porém somente em territorio nacional sei que muita gente faz isso, e aproveitando do sonho alheio rsss… queremos fazer o mesmo…. bom o custo será elevado levando em consideração gasolina alimentação e manutenção, mas tem um item nessas despesas que preciso diminuir, viajaremos de 4×4 com uma barraca em cima do carro, até ai legal, pouparemos um pouco, mas sabemos que o Brasil não é referencia em segurança e passar a noite fora de camping tira um pouco minha tranquilidade… enfim, com suas experiencias e vivencias, como acha possivel poupar até mesmo a grana de Camping….. um abraço.

    • Gusti 29/10/2014 at 18:25 #

      Oi Eduardo! Que massa o projeto de vocês! Ainda não tive a oportunidade de fazer uma viagem dessas no Brasil, mas eu não pensaria duas vezes antes de usar o couchsurfing não só para economizar mas para conhecer gente e fazer amizades no caminho! Aproveite e mande notícias! Abraços!

  22. 29/08/2014 at 10:00 #

    Oi Gustavo,
    Desejo viajar dessa forma, mas somos um casal com crianças de 10 e 15 anos. Qual o melhor site de hospedagem para nosso caso? E as passagens, vc tem alguma dica para comprá-las mais barato? Gostaria muito de levar meus filhos para a Disney nesse formato, é possível? Abs,

    • Gusti 30/08/2014 at 06:49 #

      Oi Gê,

      Existem casais viajando dessa forma, inclusive com os filhos. Mas vai ser um desafio encontrar um anfitrião, principalmente se o seu perfil estiver vazio e com pouca experiência e ainda mais numa cidade turística como Orlando. Mas Orlando tem uma vantagem, existem tantos hoteis que não é difícil encontrar excelentes promoções. Airbnb pode ser uma excelente opção também, onde vc aluga quartos ou apartamento inteiro pra sua família. Na maioria das vezes sai bem mais barato que hotel. Tenho um link pra vc ganhar U$25 de crédito: https://pt.airbnb.com/tell-a-friend?code=gjunqueira e se tiver mais interesse acesse meu post: http://www.vagamundagem.com/airbnb-e-seguro-minha-experiencia-em-bali/ Aproveite!

  23. Andressa 18/03/2014 at 07:04 #

    Muuuuuito bom! Realmente já é incrível, quase como se eu estivesse vivendo essas aventuras quando você narra. Adorei a história do casal de no peru, um dia terei oportunidade de me aventurar de tal maneira, essas dicas foram muito boas! Usarei quando chegar minha hora, 😀 Abraços!

    • Gusti 19/03/2014 at 11:35 #

      Andressa, o casal é só uma pequena parte da história toda. Ainda quero escrever melhor sobre aquela experiência! Foi inesquecível! Boa sorte nas suas futuras viagens

      Um abraço e obrigado pelo comentário! 🙂

  24. Adair Zanatto Jr. 10/03/2014 at 01:17 #

    Como te acho no Couchsurfing? Como meu perfil é novo e não tenho amigos esta difícil conseguir lugares pela Europa. Obrigado abraço

    • Gusti 11/03/2014 at 11:46 #

      Vou te mandar um e-mail.

  25. Tamires 05/02/2014 at 09:51 #

    Ótimas dicas….Mas como mulher me sinto um pouco insegura em certos tipos de opções de hospedagem (aquele velho medo) rsrs…mas quem sabe um dia … 😉

    • Gusti 06/02/2014 at 00:03 #

      Oi Tamires, entendo o seu medo e sei que é muito comum, mas já conheci muitas meninas viajando e elas sempre têm uma experiência positiva. No caso do couchsurfing por exemplo, no início, vc pode escolher ficar na casa apenas de meninas ou ainda meninas de algum grupo mais específico, se isso te der alguma segurança. Ou ainda ficar em casa de família ou casal com muitos anos de casado…

  26. Maria Clara Mota 04/02/2014 at 16:47 #

    Maravilhoso meu primo um dia juro que terei coragem !!

    • Gusti 04/02/2014 at 17:11 #

      Vai sim Maria, pode ter certeza e você vai achar o máximo! Um beijo

  27. Juli 30/01/2014 at 13:15 #

    13:15 agora no Brasil, e o mundo está parado pra mim.. por alguns segundos.

    • Gusti 30/01/2014 at 14:24 #

      Como assim Juli?

      • Juli 31/01/2014 at 18:38 #

        Ah! Diante de tantas possibilidades.. foi como se pudesse estar “lá” por alguns instantes.. 🙂

        • Gusti 02/02/2014 at 12:46 #

          Gostei do seu comentário, Juli! Fico feliz que tenha se sentido assim! 🙂

  28. Arthur 29/01/2014 at 11:40 #

    Muito bom ler estas histórias. Estou tentando arrumar meu primeiro mochilão, pela parte sul da nossa America e ando preocupado com estadia, e estas histórias mostram muitas possibilidades.

    • Gusti 29/01/2014 at 13:20 #

      Olá Arthur! Não preocupe muito! Planeje, pesquise e vá com confiança! (é fácil dizer isso, mas eu também tinha um frio na barriga nas primeiras vezes) Seja bem vindo ao blog!

  29. Felipe 27/01/2014 at 18:26 #

    Bacana demais! Graças ao couchsurfing pude ter experiências que também mudaram minha vida! E bom saber que existem outras opções além dele

    • Gusti 28/01/2014 at 01:11 #

      Fala Felipe, acabei lembrando de quando a gente acampou embaixo da asa do avião… Eu devia acrescentar essa forma! Haha

      • Felipe 28/01/2014 at 09:05 #

        Hahaha… essa também! Fora o alagamento da barraca!

Me diga o que achou, deixe um comentário abaixo: