Onde estou agora: EUA

Top

Conheça o “house sitting” e se hospede de graça nos países mais caros do mundo!

Você já imaginou poder viajar para vários países do mundo, principalmente os mais ricos e ao invés de pagar fortunas em hotéis, ter a sua disposição todo o conforto e a privacidade da casa de alguém que mora no local, enquanto o próprio dono viaja?  Imagine se você pudesse tomar emprestado a perspectiva de um local por algumas semanas ou meses, se sentir parte da vizinhança e da dinâmica de um bairro e de uma cultura diferente da sua, sem pagar nada!

Casa de fazenda na Normandia, França

Essa é a casa onde me hospedei de graça para tomar conta dos animais de estimação enquanto a dona viajava, na Normandia, interior da França

A frustração de muita gente que viaja é a dificuldade de ir além da superficialidade de ser mais um turista em um local. Todo mundo quer se sentir mais conectado com o destino, fazer parte da comunidade, se interagir com as pessoas, fazer amizades locais. Para isso existem alguns sites como o HomeExchange em que você troca de casa com alguma pessoa do outro lado do mundo durante suas férias, o workaway em que você trabalha algumas horas por dia em troca de comida e hospedagem ou o  couchsurfing, que já usei para me hospedar em mais de 30 países de graça.

Viajar apenas pelo couchsurfing, por exemplo, pode ser cansativo principalmente para nós, nômades digitais, que não paramos de viajar. As vezes queremos ancorar em algum lugar por mais tempo sem nos preocupar em ter que interagir com anfitrião, ter um espaço quieto, privado e confortável para colocar o trabalho em dia ao mesmo tempo em que estamos viajando, conhecendo culturas novas. Imagine ainda se nesse lugar não tivéssemos que nos preocupar com aluguel, pagamento de contas, contratos, etc.

Parece utópico demais? Eu também achava difícil de acreditar até que eu e o Rafael fomos para a França para nossa primeira experiência no último Outubro e de quebra acabamos ganhando um bolsa para estudar francês e ainda tínhamos um carro a nossa disposição, de graça! Se viajar dessa forma te interessou, bem vindo ao “house sitting”!

O que é o house sitting:

São sites que aproximam donos de casa e seus animais de estimação à viajantes que procuram um lar durante suas viagens. House sitting significa ao pé da letra: “tomar conta da casa” e house sitter, “tomador de conta de casa”. O viajante é responsável por tomar conta da casa e/ou dos animais de estimação enquanto o dono viaja. Pode parecer um serviço de caseiro mas nem tanto. Geralmente um caseiro fica em um cômodo separado da casa do dono e no house sitting, você usa o espaço e o conforto do dono. O caseiro também tem responsabilidades e trabalhos bem maiores que os house sitters. Por exemplo, na casa que tomei conta, uma vez por semana vinha alguém para serviço de jardinagem e uma faxineira. Ou seja eu estava ali para principalmente dar carinho e comida para os animais, que acabaram se tornando bons amigos! Esses sites estão se tornando cada vez mais populares principalmente em países caros como o Reino Unido, Estados Unidos, Canada, Austrália, França, Singapura, países escandinavos, etc. A estrutura desses sites e os perfis são sempre escritos em inglês.

Foto Preto e Branco do gato francês dentro da casa na Normandia, França

O gato (quase meu chará, Gus) que tomei conta enquanto viajava na França.

Vantagens para o dono:

  • Economiza dinheiro porque não terá que pagar uma fortuna com canil.
  • Os animais de estimação estarão mais felizes e menos estressados sem a mudança de habitat.
  • A casa estará limpa quando ele chegar.
  • O jardim não pegará fogo de secura, o cavalo não vai estar morto e esturricado, a piscina não vai estar parecendo um açude cheio de sapos, a casa não vai ser assaltada, os peixes coloridos do aquário não estarão em estado de putrefação, a caixa de correios não estará quase estourando com contas, propagandas de imóveis à venda, de como Jesus Cristo pode salvar sua vida, de disk-gás (até porque muitos desses países tem gás encanado).

Vantagens para o viajante:

  • Conhecer e descobrir lugares, pessoas e sabores novos.
  • Economizar dinheiro (e muito!) com acomodação.
  •  Se interagir com a vizinhança e com a cidade a partir dos olhos de um morador e não de um turista.
  • Ter onde ficar com privacidade, conforto e luxo que talvez você não esteja acostumado.
  • Para quem gosta de animais de estimação, a oportunidade de ter novas companhias.
  • E claro, é de graça!

House sitting é seguro?

Como no couchsurfing e no workaway a segurança é baseada em um sistema de referências. Quanto mais referências com qualidade você tiver, maiores suas chances de alguém confiar em você e te chamar para tomar conta da casa dela.

Ao contrário do couchsurfing porém, a pessoa que escreve sua referência não precisa ter um perfil no site para escrever sobre você. Pode ser a mãe, o irmão, os amigos, mas tem que ser em inglês. A pessoa que ler o seu perfil vai saber se essas referências são de interações pessoais ou se é de um dono de casa por exemplo. Fica sob a responsabilidade do dono da casa confiar ou não nessas referências pessoais (character reference).

cachorro dormindo de conchinha com um gato

Um dos perigos do House Sitting: Se apaixonar pelos animais da casa e não querer ir embora!

Como Funciona:

Geralmente por um taxa anual que varia de U$20 a U$100, viajantes e donos de casa podem colocar seus perfis ou anúncios nesses sites, em inglês!
Quando o dono da casa publica seu anúncio procurando um tomador de conta, ele deve colocar os detalhes da casa como tamanho, localização, vizinhança, cômodos, se tem jardim, piscina, animais de estimação, das responsabilidades esperadas na casa e do período desejado.

O viajante deve ter um perfil com suas informações gerais como idade, se viaja sozinho ou acompanhado, se gosta de animais de estimação. Porquê ele quer tomar conta de uma casa. Ambos podem procurar um pelo outro, mas como a concorrência é muito maior entre viajantes, basta o dono da casa publicar seu anúncio para aparecerem dezenas de solicitações. Embora meu perfil como viajante esteja público e com disponibilidade para todos os países do mundo eu nunca recebi um convite sem que eu não tenha feito o primeiro contato com o dono da casa.

Dicas de como conseguir um assignment (tarefa de tomar conta da casa)?

  • Para conseguir um assignment você tem que escrever para o dono da casa explicando porquê você quer tomar conta da casa dele e porquê ele deveria te escolher, de preferência no dia da publicação!
  • Quanto mais preenchido seu perfil maiores suas chances de conseguir um lugar. Capriche na elaboração das respostas, nas fotos (de preferência sorrindo e com animais de estimação) e se possível grave um vídeo curto falando um pouco de você e das vantagens que quem te escolher teria ao selecioná-lo.
  • Preste atenção nos detalhes do que ele precisa e enfatize que você está disposto a deixar a casa ou o animal da forma que ele deseja. Muitos donos de casa recebem dezenas de mensagens no mesmo dia em que eles postam o assignment, então lembre-se que sua mensagem pode ser apenas mais uma que diz algo do tipo: “Que lugar fantástico, seria meu sonho poder passar uns dias nesse lugar e tomar conta de seus lindos cachorros.” Se coloque no lugar do dono e concentre nas vantagens que o dono terá se ele te escolher para tomar conta daquele lugar.
  • Seja criativo, breve e conciso!
  • Se possível automatize as newsletters desses sites para receber as oportunidades o mais rápido possível para os países que você deseja viajar. Ou se estiver disposto a receber dezenas de e-mail por dia e não perder uma oportunidade, coloque para receber um e-mail toda vez que alguém colocar um anúncio!

    Dormindo no sofá com os gatos.

    Isso porque o Rafael disse que não gostava de gatos! Alguns dias depois os estava chamando para dormirem juntos na cama!

Pronto para embarcar nessa nova jornada?

Navegue por esses sites e descubra o seu preferido antes de pagar a taxa anual e fazer sua inscrição. A maioria deles te permite visualizar as publicações sem ter que se tornar membro, mas para fazer o contato inicial, você vai precisar se inscrever.

Trusted House Sitters: Esse é o meu preferido porque tem o maior número de casas disponíveis espalhados no mundo todo e uma interface bem fácil de usar. Foi por ele que eu consegui o meu assignment na França. Infelizmente é também o mais caro (U$95,88), mas através desse link, você ganha 20% de desconto!

House Carers: Te permite receber as newsletters com as postagens dos assignments gratuitamente, mas para contatar o dono é necessário se tornar um membro. A taxa anual é de U$50.

Mind My House : Com uma das taxas mais baratas anuais (de U$20) é fácil de usar mas não têm tantas opções como os dois últimos. É possível ver no mapa do mundo as opções de house sitting disponíveis sem se tornar membro.

Luxury House Sitting: Achei essa opção enquanto pesquisava para esse post. Se o propósito é agregar apenas casas luxuosas como diz o nome, vai levar um certo tempo para ampliar a disponibilidade delas pelo mundo, mas vale a pena uma conferida. Custa U$25 por ano.

Nomador:  U$89 por ano, mas na versão gratuita permite contatar até 5 donos de casas. Ainda estou testando mas parece que tem poucas opções pelo mundo.

Care Taker:  O mais antigo deles (desde 1983), parece que eles ficaram no tempo se mantendo em publicações que ainda chegam pelo correio. Mas felizmente existe a versão eletrônica que sai por U$29,95 por ano.

House Sit Match: Uma rápida olhada no mapa mostra poucas casas disponíveis com a maioria concentrada na Europa com “uns pingados” nos EUA e na Austrália.

Confira as fotos da nossa experiência em alta resolução, nesse álbum!

Se tiver dúvidas e se você já usou ou ouviu falar desses sites, deixe seu comentário aí em baixo! No próximo e-mail que eu te enviar vou te contar um segredo (como que eu consegui chamar atenção da dona da casa na França no primeiro contato) e minha experiência pessoal. Se ainda não pôs seu e-mail use os campos abaixo:




, , , , , , ,

22 Comentários à Conheça o “house sitting” e se hospede de graça nos países mais caros do mundo!

  1. Cynthia 28/05/2017 at 19:48 #

    Quem para pelas passagens?

  2. ascasasmaiscarasdomundo.info 28/07/2016 at 23:35 #

    Finalmente, depois de um tempão pulando de site em
    site na internet, achei algo que vale a pena ler em relação à esse tópico!

  3. Ângela Fernandes 30/04/2016 at 11:14 #

    Olá Gustavo, gostaria muito de conhecer o Curdistão iraquiano, será que consigo um lugar para me hospedar de graça lá?

    • Gusti 12/06/2016 at 14:34 #

      Oi Ângela, sim por que não? Não acredito com housesitting mas com couchsurfing sim!

  4. Bruna Rocha 18/08/2015 at 01:14 #

    Apaixonada pelo teu site!!

  5. Hillary 13/06/2015 at 13:43 #

    Oii Gustavo!! Parabéns pelo seu blog, achei ele incrível!!! Eu estou querendo ir passar seis meses na Irlanda para aprender inglês, mas o curso que eu escolhi só oferece um mês de hospedagem em casa de família! Você acha que tem como arrumar hospedagem com algum desses sites que você tanto cita!?? Pq tentei entrar no couchsurfing , mas a barreira da lingua é meio ruim e não sei como o site funciona. Obrigada!!!

    • Gusti 22/07/2015 at 12:46 #

      Oi Hillary,

      Sim, é possível mas não vai ser fácil por 3 motivos: Você não tem uma base boa de inglês, você precisa para um tempo muito grande (5 meses) e você não tem flexibilidade de localização já que está certa quanto onde estudará por 6 meses. Mas eu não desistiria, chegando lá tente fazer contatos com pessoas (pela internet ou pessoalmente) e deixe claroq ue você está procurando um lugar para ficar em troca de alguma ajuda diária. Tente postar no grupo do couchsurfing da região onde você está indo com suas intenções, deixe claro que você quer contribuir em troca de acomodação. Procure gente que tenha os mesmos interesses que você, grupos, faça amizade, procure e procure, assim você acaba achando alguma coisa! Boa sorte! Abraços!

  6. sandra 14/05/2015 at 18:05 #

    Ola, to achando otimo seu blog.

    vc saberia me dizer qual o procedimento pra quem nao pode tomar vacina da febre amarela e quer ir a Tailandia?

  7. Johnny 27/03/2015 at 02:05 #

    Olá, eu estava no meu celular pesquisando por um termo que tinha ouvido a pouco tempo a respeito de visto para os EUA “Au Pair” e em uma das minhas pesquisas eu encontrei seu post “Atravessando o EUA de carro parte-1” e nossa, eu me vi na viagem. E agora todos os dias eu leio as postagens mais antigas para chegar até a mais atualizada!! Quero aprender a me hospedar grátis, a entender mais sobre o couchsurfing e tudo mais! Ah, e uma outra parte de que me identifiquei com você e com o site é que também sou de Minas Gerais, não de BH, mas da Grande BH! Tenho centenas de dúvidas sobre as viagens, e uma delas e principal é: Como você se sustenta? Acho que essa é uma pergunta básica para quem quer ser viajante mas sem entrar no primeiro país e não ter mais dinheiro nem para voltar
    Abraços cara, continue escrevendo. Seu site não vai sair da barra de favoritos nunca mais!

    • Gusti 28/04/2015 at 04:36 #

      Fala Johnny!

      Fico feliz que esteja curtindo o blog! As viagens cruzando os EUA são realmente especiais! Sei que essa pergunta é relevante, mas eu só consegui me entregar à essa vida de viagens quando parei de me perguntar como fazer mais dinheiro e mudei o meu foco para como gastar menos o dinheiro e acho que o grande segredo de se viver viajando (no meu caso especialmente) é que eu aprendi a economizar ao máximo e sempre buscar por oportunidades. Mas claro, o pouco dinheiro tem que vir de algum lugar e te digo que trabalhei muito nos EUA (digo muuuuito) antes de começar a fazer uns bicos na internet para me manter viajando. Hoje eu consigo viajar trabalhando apenas pela internet e uma das coisas que faço é tomar conta de casa de veraneio pela internet. Mas esse é só um pequeno exemplo do que você pode fazer pela internet. Com o elance por exemplo você pode desenvolver uma habilidade (se já não tem nenhuma) e trabalhar de freelancer na internet com várias habilidades. Mas sei que ainda estou devendo um post mais completo sobre isso. Está na fila!

      Volte sempre, um abraço!

  8. diana 27/01/2015 at 13:46 #

    Nossa muito massa isso…amei…e se não morasse em Teixeira de Freitas….teria coragem de fazer da minha casa um desses lugares que hospedam pessoas….boa sorte!

    • Gusti 27/01/2015 at 16:54 #

      Oi Diana! Sempre tem viajante procurando um teto as vezes mesmo em Teixeira hein! Eu começaria pelo couchsurfing! Um abraço!

  9. Adriano Chaves 23/01/2015 at 21:17 #

    Muito bom, tava querendo muito ver essas dicas e as fotos principalmente hehee!! abraço!

    • Gusti 26/01/2015 at 13:23 #

      Fala Adriano! Por falar em fotos, se vc soubesse o tanto que elas tão dando trabalho! Estou tentando organizar para colocar todas nessa página! Abraço

  10. Lucas 23/01/2015 at 14:40 #

    Que bacana, Gusti! Cada dia você descobre mais formas de viajar de forma econômica! Porem eu me pergunto… quanto aos gatos relacionados a comida para os animais, comida para você, eletricidade que você gasta morando na casa, tipo lavar roupa, tomando banho todo dia, etc… o que você tem que pagar e o que fica por conta da casa?

    • Gusti 23/01/2015 at 15:02 #

      Lucas, vai depender de cada caso, mas na maioria esmagadora das vezes você não tem que pagar eletricidade nem nenhuma outra conta e muito menos comida para os animais. Mas isso deve estar claro no anúncio e se não tiver é claro que eu perguntaria! A única coisa que você teria que pagar é pela sua própria comida! Abraços!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Como viajar com o dólar alto? | vagaMundagemvagaMundagem - 02/02/2016

    […] aqui e ganhe U$50) ou como eu estava fazendo recentemente no Caribe, você pode usar o trustedhousesitters para tomar conta da casa e/ou dos animais de alguém enquanto o dono viaja. E claro, nunca faça […]

  2. Nadando com as estrelas | vagaMundagemvagaMundagem - 05/10/2015

    […] grande para ter ruas asfaltadas mas pequena para não precisar de semáforos. Aqui estou tomando conta de uma casa pelo trustedhousesitters. O tráfego mais provável que você vai enfrentar por aqui é o dos cavalos “selvagens”que […]

  3. como se hospedar de graça - 30/09/2015

    […] de deitar ou levantar, nem ter que dar satisfações para seu anfitrião. Quando fiquei sabendo do HouseSitting, não perdi tempo e alguns meses depois estava no interior da França me hospedando numa fazenda […]

Me diga o que achou, deixe um comentário abaixo: