Onde estou agora: EUA

Top

Vaga que?

Oi!

Meu nome é Gustavo Junqueira, mas pode me chamar de Gusti. Eu sou um vagamundo. Vaga que? VAGA-MUNDO. Vivo viajando e pulando (as vezes você vai até pensar que estou voando) de país em país.

Você:

Já pensou em alguma vez jogar tudo para o alto e sair pelo mundo viajando? Ficar nos melhores hotéis e conhecer os all inclusive resorts do caribe? Dar tchauzinho para a galera lá embaixo do helicóptero toda semana? Voar sempre de primeira classe?

Seja bem vindo ao site: vagaMundagem.com! Mas não se engane, aqui não é o seu lugar… Brincadeira, todos são bem vindos, mas a verdade é que todas as  minhas possessões cabem dentro de apenas uma mochila! (E ainda assim as vezes eu consigo uns luxos daqueles)

Mas se por acaso você se pergunta:

Como viajar pelo mundo com pouco dinheiro? Como viver uma vida autossustentável viajando meses ou anos por vez? Como fugir do plano de vida (geralmente entre quatro paredes) que a sociedade criou para mim? Ou até: Como enxergar os significados da vida?

Bem, desculpe te informar mas tampouco tenho a pretensão de  saber todas essas respostas.

Mas, não vá embora ainda… Vamos celebrar juntos nossa curiosidade por essas perguntas e a possibilidade de cada um encontrar seus próprios meios e caminhos. Se deixarmos nossa curiosidade nos guiar sem pré-conceitos ou ideias preestabelecidas e fixas, sem conformismos e outros “ismos”, nos abrimos para um mundo de possibilidades que sequer sonhávamos possível. Será?

Qual o objetivo desse site?

Quero compartilhar o que tenho aprendido nas viagens pelo mundo e principalmente o que eu aprendo com as pessoas que encontro nele. Isso inclui:

  • Como viajar melhor e com pouco dinheiro (ou de graça).
  • Tentar te inspirar e entreter com minhas aventuras, fotografias e exemplos de outros vagamundos.
  • Conhecer você que está lendo.

Se você também tem pensamentos malucos ou não se conforma em viver entre quatro paredes, sonha em viajar ou sente que foi mordido pelo mosquito trip-tozoário, deixe um comentário ou me envie um e-mail. Talvez eu possa te ajudar de alguma forma?

Graças ao meu antigo blog (e uma série de coincidências) acabei conhecendo um outro vagamundo que acabou se tornando não só um ótimo amigo como uma excelente companhia de viagem.

Com vocês, o vagamundo #2, colaborador desse site: Rafael Martins.Rafael Martins

O Rafael é um grande exemplo do maior benefício desse espaço: Me conectar e conhecer gente que me faz acreditar que não estou num aquário sozinho com meus pensamentos malucos e ideias que fazem muita gente questionar:

A vida não funciona assim, seja realista!”


A boa notícia é que eu levo uma vida nada convencional e o mais importante, ela tem funcionado!

Junte-se a nós você também! Assine nosso correio:





Toda semana vou tentar te enviar um e-mail com as atualizações das nossas andanças pelo mundo, dicas para viajar simples e barato e outras informações que não estarão disponíveis nesse site.

Nos siga pelo facebook:

E pelo twitter:

Ser vagamundo é fugir da realidade?

Afinal, o que é vagamundo? Essa palavra existe? Um poeta chileno, Gonzalo Rojas, disse que sim:

Essa [palavra] existe. Usava Quevedo, um dos progenitores dos poetas latinos. Eu a uso, porque vagaBundo tem uma vertente pejorativa. “VagaMundo” é aquele que se atreve com o mundo, com liberdade, com imaginação. A viagem não é somente física, se viaja com a cabeça. Um viajante tem ou parece ter uma ânsia de mundo.

Vagamundagem portanto, descreve bem o meu modo de vida e de tantas outras pessoas que eu me deparo nas minhas viagens. São pessoas fugindo da realidade? Talvez, da “realidade” imposta pela sociedade, pela mídia. São pessoas na verdade, criando sua própria realidade, vivendo a sua própria vida. São pessoas que não aturam ou se cansaram de trabalhar entre quatro paredes, de serem marionetes.

Seja rico ou seja pobre, muita gente trabalha pensando que um pouquinho mais de dinheiro faria a vida mais fácil, mais feliz. É a grande ilusão da nossa sociedade capitalista, que nos fazem hamsters correndo em nossas rodinhas. O tempo todo estamos expostos a ideia de ter mais e esquecemos de ser. Dizemos ser rico quem tem muito dinheiro quando na verdade a maior riqueza deveria estar na capacidade de ter tempo para a família, para os amigos, para ajudar os outros, para viajar, para ler e para aprender a ser alguém melhor amanhã do que eu fui ontem.

Um vagamundo tem a consciência de viver em um sistema capitalista, consumista, mas não se entrega a a ele. Como diz meu amigo Flávio Siqueira:

O problema não é viver no sistema, mas deixar que ele viva em nós, tornando-nos parte dele, confundindo-o com nossa própria natureza”

Um vagamundo sabe que o dinheiro é importante para a sobrevivência e ele trabalha sim para obtê-lo. Portanto você não tem que viajar para viver fora do sistema. Você pode viajar o mundo inteiro e vai continuar fazendo parte dele. Mas quando você viaja, você se despe mais facilmente de tudo aquilo que você tem ou pensa que faz parte de você. E é por isso que o poeta chileno disse que a viagem não é somente física, ela acontece dentro da sua cabeça também. Como diz Rolf Potts em seu excelente livro “Vagabonding”:

Viajar te compele a descobrir seu lado espiritual por simples eliminação: Sem todos os rituais, rotinas e possessões que dão significado a sua vida em casa, você é forçado a procurar por um significado dentro de você”

Além de vagaMundo, o que sou?

Um rótulo a mais: Piloto

Rótulos, rótulos e mais rótulos. Nossa sociedade tem sede por rótulos. Além de vagamundo, também sou piloto de avião, parapente e (quase lá) de helicóptero. Que tal me etiquetar então de: Piloto vagamundo, mochileiro, contador de “causos” (aqui inclui de uma vez só meu gosto por compartilhar o que escrevo, o que fotografo e meu orgulho por ser mineiro). Mas isso é só a embalagem. Se tiver interesse, um pouco mais sobre mim:

Eu moro no planeta Terra, mas claro, um país de cada vez. Tenho 26 anos, nasci e cresci em Belo Horizonte e lá está minha maior fonte de saudades: Uma família que tenho muito orgulho de fazer parte.

No topo desse blog, você pode ver onde estou no momento e por quantos países já passei desde que comecei a viajar em 2008. Por trás de cada número tem vários encontros e despedidas, fotos, vídeos e muitas histórias, ou melhor, “causos”, para honrar meu mineirês.

Em uma dessas andanças e em um desses encontros alguém decidiu me comprar um avião e eu me tornei piloto. (O que?? É!) Com esse avião, digo teco-teco, eu pilotei do Canadá ao Brasil, passando por 15 países em mais de 100 horas de voo. A viagem não foi simples, levei mais de um ano para finalmente chegar nas Minas Gerais. Me senti um nômade, um vagamundo e como eu vi que vagamundagem era bom, me tornei um piloto vagamundo.

Mas viajar como comandante mirim é só uma pequena parte da história. Eu amo voar, mas eu amo também estar no chão, conhecer gente e ver em altíssima resolução e com som estéreo, as maravilhas do mundo. Já cruzei fronteiras de balaio, de moto, de barco e até a pé.

Estou sempre procurando por formas de viajar de graça ou com pouco dinheiro e formas também de trabalhar pelo pouco dinheiro. Como não quero ser empregado fixo de ninguém, é um desafio que tenho todos os dias. Viajo com muita simplicidade, quase nunca fico em hotéis. Já dormi em aeroportos, em bancos de pontos de ônibus na rua (com a neve caindo!), em estábulo, detido na fronteira da Servia, acampando em praias (para depois descobrir que era proibido), em desertos e até em monastério budista.

Estou sempre atrás de aventuras: Me tornei também piloto de parapente, mergulhador, escalei, me perdi (e quase morri) em um vulcão. Curto muito esquiar, pular de bungee jump, andar a cavalo. Já cruzei os EUA do noroeste ao sudeste numa moto, nadei com tubarões, raias e leões marinhos. Como piloto de avião, pousei no aeroporto mais movimentado do mundo durante a feira de aviação Oshkosh e quase fui preso quando pousei numa ilha das Bahamas. Já voei dentro de nuvens de tempestade, já fui o piloto responsável pela deportação de um amigo nos EUA, já dei caronas no avião para mochileiros que encontrei em Albergues e também ganhei uma carona de helicóptero com alguém que eu nem conhecia.

Mas também aprecio um sossego. Posso passar dias lendo bons livros ou apenas acampando em contato com a natureza, observando os bichos. Já vi uma ursa e seu filhote numa montanha, vi uma família de orcas no Pacífico, me surpreendi ao escutar em alto e bom som embaixo d’água, baleias se comunicando numa praia do Havaí e passei 11 dias sem falar, sem internet, sem celular e sem minha câmera fotográfica em um monastério budista na Tailândia.

Sei que você deve estar pensando que sou um abastardo, mas acredite, minhas raízes são humildes e nunca dependi da ajuda financeira dos meus pais para fazer isso tudo. Para quem me conhece hoje, deve ser difícil me imaginar como uma criança introvertida, quieta com óculos de fundo de garrafa estudando para um dia ser médico  e depois desistir do rótulo de engenheiro após estudar engenharia na UFMG por quase quatro anos.

Se você quiser saber mais sobre essas e outras aventuras, não deixe de cadastrar seu e-mail no nosso correio se ainda não o fez:





Bora viajar juntos?

98 Comentários à Vaga que?

  1. Alberto Henrique 23/05/2017 at 19:43 #

    olá Gustavo, achei seu blog, hoje, procurando na internet sobre o “silêncio e o budismo” achei seu post dos 10 dias de silêncio na Tailândia =) curti demais!! vou tirar um tempo para ler mais suas outras viagens. vi que seu ultimo post foi em 2016… você ainda está viajando? te achei no facebook, também, vou te seguir por lá. abraço e boa viagem!!

  2. Gabriel Martinez 14/12/2016 at 23:31 #

    Gustavo, um dia ainda quero ser como você. Ser um piloto, um aventureiro, viajar pelo mundo e não ter um emprego fixo.
    Também sou de Belo Horizonte, nasci e cresci aqui. Infelizmente ainda não viajei muito, apenas algumas cidadezinhas daqui de Minas e fui uma vez ao Rio de Janeiro. Viajar para o exterior eu ainda não consegui, mas espero um dia iniciar essa aventura. Sempre fui apaixonado em conhecer lugares novos, principalmente lugares da natureza, mas só fico viajando pela internet mesmo. Gostei muito do seu site e principalmente da sua história. Parabéns por tudo que você já conquistou e boa sorte nessa aventura de cada dia 😉

    Abraços

  3. Fernando 05/10/2016 at 23:34 #

    Achei seu site por acaso, e ele despertou novamente meu desejo por uma vida cheia de aventuras e descobertas. Minha realidade atual é muito árida e previsivel, e infelizmente não posso, por diversos motivos (financeiros principalmente), sair viajando pelo mundo agora. Estou estudando para o vestibular, e já me consolo com a ideia de um mochilão assim que eu me formar. Sei que futuramente farei grandes coisas, vou conhecer o mundo e ter muitos causos (sou seu vizinho, do sul de Minas haha); por enquanto vou ficar por aqui, viajando com você. Adorei o site, e muito obrigado pela dedicação em compartilhar suas histórias.

    • Gusti 18/03/2017 at 08:03 #

      Valeu Fernando, pelo comentário! Espero que consiga viajar em breve!

  4. Vitória Côrtes 03/10/2016 at 13:18 #

    Olá Gusti, meu nome é Vitória e também sou mineira. Excelente o seu blog. É sempre bom encontrar pessoas com o mesmo objetivo de vida. Eu e meu marido estamos correndo atrás do nosso sonho também que é viajar o mundo com nosso dog na nossa kombi-home, que está a caminho. Achamos que o único objetivo da vida é viver, aproveitar, conhecer pessoas, lugares, culturas e se jogar em aventuras. Planejamos uma viajem sustentável, ir conseguindo a grana para se manter no caminho, buscando viver com o mínimo possível. Espero que a gente se trombe pelo mundão e desejo muita energia positiva para você, que continue seguindo seu caminho, pois cada um tem a vida que escolhe ter!

    • Gusti 18/03/2017 at 08:02 #

      Oi Vitória! Que bacana seu projeto! 🙂 boas viagens!!!😀

  5. Lucas Vieira 03/10/2016 at 00:52 #

    Olá, primeiro gostaria de dizer que fico muito feliz por ter encontrado alguém para me inspirar. Me chamo Lucas, tenho 20 anos, moro no Rio de Janeiro, Baixada fluminense. Terminei de passar para a faculdade e o ponto que quero chegar é, eu não sou nada. Talvez em uma visão mais otimista me digam que eu posso ser muita coisa e que ainda vou crescer, mas me sinto preso a uma vida que não pedi para ter… estudar, me formar em algo ” bonito ” e que me dê dinheiro. Gosto do curso que escolhi mas não quero ser preso a uma vida simples, sem sal. Infelizmente não tenho base financeira pra largar tudo nem pessoas que iriam me acompanhar… por enquanto. Cadastrei meu e-mail e mesmo não podendo seguir você, vou observar, aprender e um dia… Deixar essa selva de pedra e conhecer o planeta em que nasci. Obrigado pelos seus relatos e ficarei acompanhando.

    • Gusti 18/03/2017 at 08:01 #

      Lucas, espero que encontre sua forma em breve! Questionar é realmente o primeiro passo!

  6. Lucimara 14/04/2016 at 10:25 #

    Oiii Gusti!!

    Eita vida doida hein, tava aqui criando meu blog, colocando minha historia nele, ai me ocorreu de colocar a frase do McCandless, no final da minha apresentação pessoal, e veja só onde fui cair, no seu Blog. Cara que massa, juro que no inicio ali até me emocionei, e agradeci ao universo por saber que existem muitas pessoas como a gente, espalhadas pelo mundo.
    Sempre ameeeei viajar, as vezes sinto vontade de largar tudo e sair por ai, pelo mundo, deixando pra lá qquer medo, imposição ou qquer outra coisa que me trave.
    Desde muito novinha, minha vontade era subir num trem e ir embora, mas não pq quero distância da minha família, dos amigos ou coisa assim, mas pela vontade de conhecer oque tem no mundo a fora, além da minha cidade, nunca o fiz por medo, pois na minha cabeça, eu como mulher acabo sendo mais limitada.
    Encontrar seu blog foi uma coisa muito boa e com certeza não foi por acaso! Com certeza vou estar por aqui, te acompanhando, trocando idéias, afinal, amigos a gente pode criar sem conhecer pessoalmente, não é mesmo!

    Grande abraço, boas vibrações ai pra vcs, e que continuem a conhecer lugares incríveis!

    Bjoos Lu

    • Gusti 12/06/2016 at 14:54 #

      Oi Lucimara,

      Esse tal de medo é perigoso… As vezes nos impede não só de viajar mas de viver! Mas espero que a curiosidade possa sempre falar mais alto na sua vida! Boas vibrações para você também! 🙂

  7. Raquel Camargo 08/04/2016 at 13:34 #

    Ei Gustavo, tudo bem?
    Ontem peguei um uber com o senhor mais simpático do mundo, aí a gente engatou um papo super legal e descobri que o filho dele consegue colocar em prática o meu sonho: viver viajando.
    Sim, foi seu pai quem me falou do seu blog e da sua história. De cara já admiro muito sua família haha
    Parabéns pelo sucesso e pela história que está construindo na vida!
    Tudo de muito bom, continuarei acompanhando seu blog!

    Abraços!

    • Gusti 12/06/2016 at 14:41 #

      Ei Raquel! Amei receber seu comentário! 🙂 Fico feliz que tenha conhecido meu pai! 🙂 Sim, volte sempre! 🙂 Abraços!

  8. Camilla 20/03/2016 at 04:47 #

    Hahaha garoto
    Como foi bom encontrar seu blog!
    To eu deitada aqui relaxando na Tailandia procurando saber um pouco mais sobre vipassana e acho seu relato.
    Dei muita risada
    To viajando “sozinha” (porque na real e dificil ficarmos sozinhos) e ler seu blog tem sido uns dos meus passatempos.
    Voce escreve muito bem, sabe entreter e admito que da ate vontade de te conhecer pessoalmente. Tem uma linda maneira de enxergar a vida. Acredito que tenha fortes raizes.
    Valeu! Muito bom poder acompanhar o vagamundagem 🙂

    • Gusti 12/06/2016 at 14:39 #

      Poxa Camilla, que bacana seu comentário! Me deu inveja, hahah não vejo a hora de voltar para a Tailândia! 🙂 Volte sempre por favor! 🙂

  9. Luiza 26/12/2015 at 09:52 #

    Quer ser meu amigo? hahaha …. Gustavo, me identifiquei e me emocionei com tudo o que li no seu blog até agora, parabéns pelos relatos emocionantes e por ser esse pessoa que vive a vida por inteiro e aprecia todas as oportunidades. Espero que um dia a gente se cruze nesse mundo afora, pois seria lindo ouvir suas histórias pessoalmente. Obrigada pela oportunidade de lê-las aqui.

    • Gusti 12/06/2016 at 14:38 #

      Oi Luiza!

      O mundo é muito pequeno, espero poder cruzar com você também! Volte sempre! 🙂

  10. Rommana Paiva 24/11/2015 at 09:53 #

    Ei Gustavo, me chamo Rommana. Meu amigo Nicholson Clein me falou de vc e do seu blog. Entao decidi visita-lo e estou adorando. Acabei de criar um blog tb, de uma olhadinha! bjs e boa viagem.

    • Gusti 12/06/2016 at 14:37 #

      Oi Rommana,

      Poxa que legal do Nico divulgar! 🙂 Volte sempre e bem vinda à blogosfera! 🙂

  11. natalia maximo 08/11/2015 at 00:36 #

    Ei Gust!!!! Estou orgulhosa de vc, de quem vc se tornou! Admiro o seu desprendimento e desejo de conhecer o “novo”. Muito inspirador seu site, parabens!!!!

    • Gusti 12/06/2016 at 14:35 #

      Poxa Naty wood! Que bom ver você aqui e muito obrigado pelo comentário, espero vê-la em breve! 🙂

  12. Vivian 05/10/2015 at 07:49 #

    cara
    li vários dos seus relatos e me identifiquei com alguns e só tenho alguma coisa pra te pedir…
    onde você guarda o teu dinheiro?? ja foi assaltado ou coisa do tipo..??
    valeeeuu

    • Gusti 05/10/2015 at 13:41 #

      Oi Vivian!
      No banco… Sim, a única vez foi no Brasil antes de começar a viajar pelo mundo!

      • Vivian 07/10/2015 at 07:38 #

        que cartão você usa?? aqueles travel?

        • Gusti 09/10/2015 at 12:24 #

          Uso cartão de crédito mesmo! Travel money também pode ser uma opção.

  13. Frederico 15/09/2015 at 15:08 #

    Ola Gustavo, tenho 33 anos e gostaria de saber qual primeiro lugar diria para um cara que estava pensando em se matar e que agora resolveu viver a vida do jeito que sempre quiz ? Não tenho mulher nem filhos mas nunca me senti sozinho e sim angustiado por não fazer o que gosta da vida, viver ! Não sei como me desfazer do que já tenho para viver o que não tenho e é isso que gostaria de uma opinião ou ajuda ? Sou engenheiro agrônomo formado pela UFG e moro atualmente em silvania GO trabalhando em uma revenda, porém para se ter uma ideia tem uns 5 dias que não faco nada, não porque eu não tenha o que fazer mas sim pq não quero mais a não ser chorar e pensar o quanto estou infeliz, mas não se preocupe, não estou simplesmente querendo me livrar dos problemas do dia a dia, quero realizar meu sonho que já adiei a tempos e não quero mais essa angustia. Vou seguir meu coração mais do que minha mente a partir de hoje !!!

    • Gusti 22/09/2015 at 15:36 #

      Oi Frederico, o desafio para muitos é justamente decidir o que fazer da vida, como gastar nosso tempo produtivo, já que a nossa sociedade nos pressiona para mostrar o que podemos fazer. Para uns isso leva mais tempo, outros menos mas o importante é gradualmente saber escutar a “voz interior”, instinto, caminho próprio ou como quiser chamar. A gente cria um monte de capas em cima de nós mesmos para atender a sociedade e acaba ficando difícil saber quais aspirações são realmente genuínas dentro da gente. Viver na correria do dia-a-dia ou se inundar com preocupações dificulta saber até quem de fato somos na verdade. Você parece já ter tomado o primeiro passo dizendo que vai escutar mais seu coração do que sua mente a partir de hoje, mas eu te pergunto, você sabe “escutar seu coração”? Se escutar pode ser uma das experiências mais marcantes da sua vida, mas isso pode ser um processo não tão imediato quando ir na esquina e comprar um pão. Tem que ser passo a passo, prestando atenção no foco dos seus pensamentos, tentando eliminar os negativos e principalmente o medo e pouco a pouco ter consciência e a capacidade de separar se quem fala aí dentro é seu ego ou sua essência. E para ajudar a separar essas vozes, pelas minhas experiências já percebi que o ego é competitivo, egocêntrico, ele te faz desejar TER sempre mais e mais. A voz que você deveria dar atenção é aquela que mostra compaixão, humildade, atenção mais nos outros do que em si mesmo. Se o seu sonho condiz com a segunda ou pelo menos te dará tempo para refletir nessas questões como uma viagem, tenho certeza que você estará no caminho certo. Boa sorte na nova empreitada! Um abraço!

  14. Cintia Cirino 07/09/2015 at 03:27 #

    Eu já gosto de viajar… Estou por anos fuçando sites e mais sites e sim, retirando boas dicas e inspirações.
    Mas cara, teu blog é tipo pica das galáxias, no bom e velho carioquês claro!!! hahaha
    Eu que sou aquela tarada por promoções aéreas e bugs de cias aéreas e viajo um bocado por ano (considerando-se que trabalho, rs) tô começando a achar que não aproveito tudo que deveria… rs
    Sem drama você me deu um up!!!!!
    Tô amando estar aqui nesta leitura e…
    … é muito abuso pensar isso?, mas você é como um daqueles pareceiros que sacode a gente e diz: vai la viveeeeeerrr cara!!!
    Obrigada mesmo!!!!

    • Gusti 21/09/2015 at 20:08 #

      Ehee!

      Curti seu comentário, Cíntia! 🙂 E de quebra aprendi um pouco de carioquês! Hahah A gente se vê pelo mundo então?!

      Abraços e boas vagamundagens!

  15. Nathan 13/08/2015 at 03:26 #

    Olá Gustavo!

    Parabéns pelas conquistas e experiências e obrigado por compartilha-las neste blog! Seus textos abrem nossa mente para viajar contigo

    Tenho uma pergunta: você fez todos os seus vôos com o C 172? :O

    Grande abraço

    • Gusti 14/08/2015 at 13:26 #

      Olá Nathan, obrigado! Durante o treinamento sim!

      Abraço!

  16. Juliana 26/07/2015 at 11:58 #

    Olá!!
    Adorei o seu blog… Queria ter condições de largar tudo e sair viajando, mas a realidade é diferente….
    Mas estava querendo ir em outubro/ 2015 pra Tailândia, vi uma primo de passagem, e assim como li no seu blog, já me disseram que o mais caro e a passagem, custo de vida lá não é tão alto.
    Então a ideia é ir eu e meu namorado, queria dicas de aonde ir, ficar, e quanto gastaríamos pra ficar 15 dias, lembrando que não em lugar de luxo, mas lugares bons.

    No aguardo

    Juliana

  17. Marina 23/07/2015 at 14:56 #

    Boa tarde, por acaso caí no seu blog e gostaria de deixar minha impressão, por também ser uma andarilha neste mundo enorme em que vivemos. O seu blog me soa ser feito por um burguês de classe média, filho de papai, que ganhou um avião (como se fosse comum alguém ganhar um avião ou como diz vc um tico-teco) e que ainda estudou na UFMG, que tem 60% dos seus estudantes de classe média alta. Os lazeres apresentados por vc, como pular de bung jump, andar a cavalo e esquiar mostra muito bem minha justificativa em constatar isso. Para contar vantagem e dizer a quantidade de país que já visitou, ou mostrar a câmara fotográfica excelente ou ainda o celular top que deve ter, se camufla atrás de um blog que mostra lugares “baratos” e que vale um sorriso de uma pessoa pobre para ganhar a viagem. Amparada por uma família abastarda, termo usado por vc, tem todo o apoio que precisar em uma viagem. Quem é vagamundo, como vc mesmo diz, é do mundo e não precisa de dizer ou provar aos outros para ter um reconhecimento. Por acaso já leu o livro Vagabundos Iluminados do Jack Kerouac? Inspire nesse livro para fazer suas viagens, porque viajar não é apenas relatar, e amigos e parentes comentar como está legal o blog do Guti. Viajar vai muito além disso, aprenda.

    • Gusti 10/08/2015 at 13:20 #

      Oi Marina,

      Muito obrigado pela sua opinião sincera. Isso mostra o quanto posso ter passado longe na tarefa de tentar escrever um “sobre” desse blog/sobre a minha pessoa. Se você é viajante ou mesmo andarilha como diz, você ja deve ter percebido quantas vezes na estrada a gente reconstrói nosso olhar para o mundo e nossas opiniões sobre lugares e culturas, não é mesmo? Isso acontece comigo o tempo todo. Tudo que eu vejo, escuto e leio é sempre uma pequena fresta daquilo o que as coisas realmente são.

      Por isso que viajar abre tanto a cabeça e ajuda diminuir os preconceitos. Esse blog é só mais um exemplo de uma fresta na vida de quem o lê. Os mundos dentro de cada cabeça que lê essas linhas são distintos (ainda bem) e as interpretações as mais diferentes possíveis. Não deixo de tentar seguir o meu propósito de poder incentivar e por que não, inspirar outras pessoas a viajarem, assim como eu fui inspirado por outros quando no ensino médio eu vendia bombons, salgadinhos e sanduíche no colégio e ainda tinha um trabalho de meio turno em um escritório de seguradora porque eu queria e precisa depender dos meus próprios esforços para realizar os meus sonhos.

      Sou sim, filho de um pai e de uma mãe muito presentes na minha vida. Tenho uma família “abastarda” em amor que infelizmente ou melhor felizmente nunca pode contribuir financeiramente com minhas viagens e nunca me deu um tostão para eu pular de bungee jump, esquiar, comprar minha “câmara fotográfica excelente”. Ironicamente a única viagem que fizemos juntos para fora do país foi porque eu dei a eles a viagem de presente, tendo que pintar casas para garantir o dinheiro da passagem.

      Concordo com você quando diz que “quem é vagamundo… é do mundo e não precisa de dizer ou provar aos outros para ter um reconhecimento”, e não precisa mesmo. Mas as pessoas são diferentes e talvez eu não tenha chegado a seu patamar de iluminação e gosto do reconhecimento das decisões que fiz para viver a vida como eu queria e gosto mais ainda de mostrar como valeu a pena deixar de lado medos, opiniões alheias e preconceitos para poder viver da minha forma.

      Quanto à sua última pergunta, conheço esse livro mas o tirei da minha lista de leitura enquanto lia o livro “Na estrada” do mesmo autor. O livro dificilmente me prendia e em muitos momentos me incomodava a excitação por drogas e “aventuras” recheadas de falta de respeito e mesmo crime em busca de achar não sei o que. É bem escrito, tem seus méritos, mas talvez nunca enxerguei aquilo que tanta gente viu no livro. Mas vou seguir sua sugestão e talvez dar uma nova chance ao Kerouac em breve! Mas não será essa leitura que me vai mostrar o que é viajar. São minhas próprias experiências e encontros nos meus mais de 5 anos viajando sem parar que me inspiram para “fazer as minhas viagens”, não tenha dúvida disso!

      Mais uma vez, obrigado pela sua opinião!

  18. Fabiana de Melo 28/06/2015 at 13:39 #

    Oi Gust parabéns pelo Blog site é bem bacana me abriu bastante a cabeça muito mais do que já é aberta.

    Tenho duvidas e perguntas tudo junto. Então Comprei minhas passagens para New york e não tenho muita grana para gastar com hospedagem sou inscrita noWorkaway só que não tive muitas respostas.
    vou ficar 3 meses viajando por lá e gostaria de saber como faço para justificar para imigração americana que sou mochileira viajante
    tenho passagens de ida e volta isso afasta qualquer tipo de problema de justificativa? tenho reserva num hostel por 5 dias?

    Um abraço
    aguardo respostas 🙂

    • Gusti 22/07/2015 at 14:13 #

      Ei Fabiana,

      Nova York pode ser um desafio para começar a usar o workaway, mas nada empeça que você consiga, mas lembre-se que a concorrência é grande por lá seja pra couchsurfing, workaway e até trabalho… Se não encontrar nada na cidade talvez você consiga nas cidades vizinhas… A imigração vai querer saber se você tem vínculos no Brasil: emprego, dinheiro, relacionamentos etc e dinheiro para se bancar esse tempo todo nos EUA, então esteja preparada para responder esse tipo de pergunta! Você não precisa de reserva para o tempo todo que estiver lá, mas caso perguntem seja sincera e diga que sua viagem está aberta depois dos 5 primeiros dias que vc quer explorar, etc… Boa sorte e aproveite! Abraços!

  19. Fabiana de Melo 28/06/2015 at 13:37 #

    Oi Rafael parabéns pelo site é bem bacana me abril bastante a cabeça muito mais do que já é aberta.

    Tenho duvidas e perguntas tudo junto. Então Comprei minhas passagens para New york e não tenho muita grana para gastar com hospedagem sou inscrita noWorkaway só que não tive muitas respostas.
    vou ficar 3 meses viajando por lá e gostaria de saber como faço para justificar para imigração americana que sou mochileira viajante
    tenho passagens de ida e volta isso afasta qualquer tipo de problema de justificativa? tenho reserva num hostel por 5 dias?

    Um abraço
    aguardo respostas 🙂

  20. raquel 28/06/2015 at 02:23 #

    Ei Gu blza estou viciada nas suas viagens claro gostaria muito de fazer a mesma coisa e queria saber seu ponto de vista, vejo muitos rapazes fazendo essas viagens super, mais acho que pra mulher fica perigoso sabe, homem é homem é mulher é mais indefesa, ficar vagando de la pra cá sozinha, já cruzou com alguma moça nessas suas viagens, acha q nós lugares que passou como é em relação mulheres estrangeiras. Tem país que não respeitam muito as mulheres sendo de fora então menos ainda o que me diz?

    • Gusti 22/07/2015 at 14:03 #

      Ei Raquel! Sim, na verdade já conheci muitas meninas que viajam o mundo todo sozinhas e a maioria acha seguro o que elas fazem. Talvez algumas pessoas não respeitam as mulheres em alguns países estrangeiros, mas você pode começar a viajar por países em que você se sinta mais confortável por exemplo. E viajar sozinha não quer dizer que você vai ficar sozinha o tempo todo, muitas vezes você faz amizades e pode encontrar companhias para conhecer outros lugares que sejam mais sensíveis. Vou procurar uma amiga para escrever um blog post sobre o assunto aqui no blog, porque tenho certeza, ler uma experiência em primeira pessoa é muito mais válido! Abraços!

    • Debora 30/12/2015 at 11:38 #

      Olá Raquel e Gusti,
      Respondendo sua pergunta sobre mulher viajar sozinha, antes de sair viajando pelo mundo, todos me diziam que eu era maluca por ir sozinha, que os países de destino eram perigosos etc e tal… acabei pesquisando muito antes de ir, li diversos relatos e tomei os devidos cuidados.
      Nunca tive nenhum problema, pra falar a verdade me senti bem mais segura do que no Brasil. Claro que tomava alguns cuidados, nunca fiquei andando sozinha á noite em lugares desertos, cuidados com dinheiro e passaporte, sempre que chegava em algum lugar novo vc checa as infos e outra, você só fica sozinha se quiser, porque acaba conhecendo pessoas o tempo todo.
      Senti um pouco de incômodo em países muçulmanos quando estava sozinha, em alguns lugares mais, em outros menos…
      Espero ter ajudado! Vá e aproveite sem medo.

      Gusti, parabéns pelo seu blog. Me identifiquei muito com seus relatos, principalmente com o que vc diz sobre as regras da sociedade, o molde feito e a cartilha do que vc tem que seguir na vida. ir pra escola, passar no vestibular, faculdade, trabalhar e trabalhar, ter o carro do ano, a roupa da moda e viver num quadrado… E se você não segue essa linha, te olham como o patinho feio. Blogs como o seu contribuem para essa mudança.

      • Gusti 12/06/2016 at 16:22 #

        Oi Debora, valeu por compartilhar sua experiência!!! 🙂 Volte sempre! 🙂

  21. Johnny Coelho 13/05/2015 at 02:57 #

    Olá Gusti, entrei aqui pelo link que vc me enviou. Realmente suas histórias são muito bacanas. Ainda não li sobre quando vc se perdeu em um vulcão, vou procurar para ler hahahaha
    Eu te mandei perguntando sobre o Rafael, e aqui eu li como foi que se conheceram, menos uma dpuvida kkkk
    Vou continuar sempre aqui no blog lendo as matérias. Em breve te mando as aventuras que vou viver, vc vai ver.
    Muito interessante. Continue assim.
    Abraço de mineiro.

    • Gusti 13/05/2015 at 17:25 #

      Olá Johnny! A aventura da escala do vulcão não foi escrita ainda apesar de ser a a mais marcante (Aliás já até comecei a escrever mas deu muitas páginas e tenho que dar um jeito de fazer uns cortes e seguir a história).

      Um abraço!

  22. Alexandre Buch 16/03/2015 at 18:26 #

    Olá Gustavo,

    Adorei seu Blog… Parabéns!

    Cara, será que você poderia me ajudar? Eu estou estudando inglês aqui em Bournemouth na Inglaterra. É minha primeira vez no exterior. Meu nível de inglês é pré-intermédia. Vim para ficar 12 semanas.
    Do dia 25 a 30 de março vou visitar Roma, e gostaria de ficar hospedado através do Couchsurfing. Me tornei membro, paguei, segui suas dicas para fazer o request, mas até agora não consegui nenhuma resposta positiva. O que eu faço, amigo?

    Abraços,

    Alexandre Buch

    • Gusti 17/03/2015 at 09:48 #

      Olá Alexandre!

      Já vi o primeiro erro: Vc pagou! Hehe brincadeira, não é um erro, mas não é necessário pagar para ter o couchsurfing. Bem, mal não vai fazer pelo menos. Como parece que o seu perfil é novo, com pouca ou nenhuma referência e tentando couch em uma cidade super turística, te aviso que realmente não vai ser fácil. O ideal é você acumular algumas referências antes para ficar mais fácil de conseguir um couch, mas como está em cima já, talvez se você procurasse couch nas cidades não turísticas ao redor de Roma fosse mais fácil, mas nesse caso não sei se valeria a pena… E não esqueça busque por amigos e não por lugar de graça pata ficar e deixe isso claro nos requests privados que enviar! Boa sorte Alexandre!

      Abraços!

  23. Mariana 09/03/2015 at 21:47 #

    Ola Gustavo,

    Tenho a maior vontade de sair pelo mundo tbm, venho pesquisando bastante, mas a maior duvida e sobre visto, como passar tanto tempo fora do pais, como funciona essa burocracia

    • Gusti 10/03/2015 at 16:29 #

      Ei Mariana, Não tem problema nenhum passar muito tempo fora do Brasil, contanto que você sigas as regras de cada país que você visita. Uns 140 países no mundo não requerem vistos para brasileiros mas vc tem que ficar atenta ao prazo máximo estipulado para cada um e isso pode variar de um mes para 6 meses aproximadamente. E mesmo que você queira passar mais tempo num lugar só existe sempre a chance de sair e entrar novamente do país para ficar mais tempo. Nos EUA por exemplo, se vc vai com visto de turista, vc pode ficar até 6 meses de cada vez. Na Europa (não precisamos de visto para a maioria dos países lá) vc pode ficar até 3 meses de cada vez desde que não extrapole 6 meses no ano. Espero que você consiga também sair para explorar o mundo e depois passa aqui para contar como foi! Abraços!

  24. Mariana 09/03/2015 at 21:47 #

    Ola Gustavo,

    Tenho a maior vontade de sair pelo mundo tbm, venho pesquisando bastante, mas a maior duvida e sobre visto, como passar tanto tempo fora do pais?

  25. Anne Soares 24/02/2015 at 16:46 #

    Nossa! O post sobre Na Natureza Selvagem fez eu chegar até o blog, e estou apaixonada pelas descrições das aventuras suas viagens. Também tenho o sonho de embarcar em várias aventuras, a diversidade de ambiente é o que me encanta.
    Imagino as dificuldades e admiro a sua garra por não desistir e aguentar tudo muito firme, não é nada fácil.
    ♡Amo tudo isso. Meus olhos brilham e fico imaginando as minhas futuras viagens. ♡
    Parabéns!

    • Gusti 28/02/2015 at 23:08 #

      Ei Anne!

      Que bom que está gostando do blog e fico feliz por ouvir que “seus olhos brilham imaginando suas próximas viagens”! Por favor, volte sempre! Abração!

  26. Paolla Sayuri 21/01/2015 at 13:49 #

    Caro Gusti,
    Encontrei seu blog procurando templos para me hospedar na Tailânia e acabei achando (como todos os outros que aqui se encontram) não só o templo, mas também a certeza de que é isso que quero: Viajar.
    Ando pesquisando para colocar o pé na estrada sem data certa para volta porém me deparo com um mega dilema: Dinheiro! E tenho visto que não necessito de tanto, porém também não sei por onde começo, roteiro, tempo, dinheiro, condicionamento físico, minha cabeça esta uma zona! Só sei que vou, não sei quando, como e nem para onde ao certo. Preciso humildemente de sua experiência, ao menos para me dizer como começo.

    Parabéns e obrigada!

    • Gusti 19/02/2015 at 00:46 #

      Ei Paolla,

      Parece que você já deu o primeiro passo né: sonhar! Agora falta organizar os detalhes: Por exemplo, vai ser muito difícil viajar sem passaporte, você já fez o seu? Depois do passaporte o próximo passo é decidir quanto tempo vc tem disponível e comrpar a passagem. Eu esperaria e ficaria de olho nas promoções e iria para qualquer lugar em que a passagem estivesse bem barato… Foi assim que eu comecei a viajar e foi o preço das passagens e as oportunidades que me levaram na maioria dos países que já conheci. Depois da passagem comprada você ganha momento para resolver os outros detalhes… Como dinheiro (haha ok, talvez seja uma boa ideia juntar um pouco antes de tudo), reservas, o que conhecer, onde ficar… Se tiver outras dúvidas volte aqui e deixe seus comentários!

      Um abraço!

  27. Caro Gusti, hoje pela manhã bem cedo li seu comentário no post sobre a Etiópia em meu blog de viagens, o FATOS & FOTOS de Viagens. Naquela hora o mínimo que eu poderia fazer seria agradecer o simpático comentário. Mas resolvi primeiro vir até aqui “conferir” o seu blog. Então me deparei com algo encantador, simpático, divertido, bem escrito e diferente de tanta mesmice que a gente tem visto por aí, especialmente na blogosfera. Texto bem escrito, estilo de vida invejável, reflexões inteligentes e elogiáveis, enfim quanta coisa bacana encontrei aqui e com as quais me identifiquei, mas não só porque compartilhamos do mesmo desejo de conhecer o mundo e o modo como encaramos isso. Muito grato, um grande abraço, felicidades e saúde em sua encantadora jornada. Não vamos perder o contato!

    • Gusti 29/09/2014 at 19:57 #

      Olá Arnaldo! Poxa, que honra poder ver seu comentário aqui, ainda mais com esses elogios! Vou esperar pelas críticas também hein, afinal tenho muito que aprender com você! Um abraço e espero de verdade não perder o contato!

  28. Fernanda 25/09/2014 at 09:38 #

    Hello Gus!
    Cai no seu blog por acidente procurando alternativas pra viajar barato e me indentifiquei mais do que esperava!
    Passei 5 anos da minha vida sonhando com um intercambio, ate que tomei a decisao de fazer um pra trabalhar na minha area de formacao, LEGAL! To morando na India, um lugar unico, maluco, diferente de tudo que ja vi na vida, um lugar onde mexe com absolutamente t-o-d-o-s os sentidos. Poreeem, cai numa armadinha que eu mesma montei! Virei uma marionete como vc diz.
    Passo 8 horas do dia sentada num escritorio, fazendo um trabalho que tranquilamente eu poderia fazer pela metade do tempo, alem disso trabalho no sabado \o/ que maravilha.
    Sou do tipo que nao para de se quetionar e cheguei a conclusao que tenho talento pra vagamunda haha.
    Nao aceito viver do jeito que a sociedade espera, e trabalhar entre 4 paredes ta me enlouquecendo, por isso to pensando em largar (quase) tudo e sair por esse mundao. GENTE, apenas nao da pra recusar todos os dias solicitacoes de viagens no Couchsurfing pq eu tenho um trabalho boring que nao me permite conhecer esse pais sensacional.
    Enfim, amei o seu blog! Me inspirou muuuito, certamente vou ler sempre 🙂
    Parabens e boas trips!

    • Gusti 26/09/2014 at 00:41 #

      Oi Fernanda!

      Que bom que você tem a consciência de que pode chegar a um certo ponto que não te agrada e depois mexer os pauzinhos para fazer diferente e viver outras experiências. Apesar de vc estar trabalhando muito aí tenho certeza que essa experiência de estar na Índia você não se arrepende né? Espero que esteja aproveitando e aprendendo (ou desaprendendo) bastante!

      Que bom que gostou do blog, volte sempre! 🙂

      Abraços!

  29. Flavia 22/09/2014 at 22:20 #

    Oi Gustavo!

    Estudei no Batista tb e acho que já fomos da mesma sala! Fico vendo suas fotos no face, uma mais linda que a outra! Hoje vim conhecer o seu site e adorei tudo, o design, os causos, as dicas, as fotos! Espero que continue compartilhando suas aventuras com a gente 🙂

    Bjus,

    Flavia

    • Gusti 24/09/2014 at 16:50 #

      Ei Flávia!

      Lembro de você! Que surpresa ler seu comentário, fico feliz que tenha gostado! Tudo de bom para você!

      Beijos!

  30. Adriano Chaves 16/09/2014 at 22:01 #

    Cara, conheci seu site agora e tô achando incrível, as histórias (causos) que você escreve consegue prender a atenção da gente facilmente, parabéns…acho que todo mundo que leu sentiu vontade de passar por situações parecidas e sentiu ainda mais vontade de viajar. As fotos então nem se fala. Ganhou mais um leitor!

    • Gusti 16/09/2014 at 22:29 #

      Fala Adriano! Bom demais saber uai! Se amarre aí no blog que tem muita aventura pra contar e dicas para dar! Seja bem-vindo! 🙂
      Um abração!

  31. Denise 10/09/2014 at 14:33 #

    Oi Gustavo,

    Espero que você esteja bem onde esteja! Sabe que cai no seu blog quando estava procurando o site daquele templo budista do retiro de 10 dias… Estou há algum tempo pensando em fazer esse retiro, mas até hoje não tinha tido a coragem de fazer, sabe… Gostei muito do seu post, o que me levou a ler um pouco mais sobre você. Fiquei muito feliz em ver que existem pessoas como você, e como todo este pessoal que te escreveu acima, procurando viver novas experiências, e sair dos rótulos que nos colocamos para buscar entender quem na essência somos… Achei muito interessante conhecer mais de sua experiência com viagens…. Eu também já viajei um tanto, mas tenho a impressão que viajava para fugir e não para conhecer.. Então depois, de 4 anos, voltei para o início de tudo, para tentar primeiro me encontrar para depois poder encontrar o outro… Não estou planejando nenhuma viagem no exterior (fora essa do retiro), mas adoraria tomar um café contigo quando estiver novamente no Brasil.

    Continue postando, para podermos dar essas viajadas contigo!

    Um grande abraço,

    Denise

    • Gusti 13/09/2014 at 00:27 #

      Oi Denise!

      Que bom que chegou até aqui! 🙂 Espero que possamos nos manter conectados então e aprendermos um com o outro! Muito obrigado pela mensagem e volte sempre, ok?

      Um abraço!

  32. Patricia Motta 21/08/2014 at 15:43 #

    Oiii Gusti (já me sinto até intima só de ler o Blog..rs)
    Fico muito feliz em descobrir blogs como o seu, a forma como escreve nos faz viajar junto, e fico muito feliz quando isso acontece!!
    Apaixonei pela sua pessoa e me identifiquei de várias formas com você, como fotografias, viajar (obvio..rs), voar e MG…sou de João Monlevade, 110km de BH e fico muito orgulhosa de ver os mineiros nesse mundão, e espero em breve também fazer o mesmo. Em abril fiz o meu primeiro mochilão inspirada em seu blog também, continue assim..nos levando juntos na suas viagens!!

    Abraços!!!

    • Gusti 25/08/2014 at 19:51 #

      Oi Patricia,

      Que legal ler seu comentário, fico super feliz em ver esse blog ajudando as pessoas a viajarem! Por favor volte sempre e comente sempre também!

      Abraços!

  33. Amanda Alves Prazeres 20/07/2014 at 19:07 #

    Oi, Gusti!!
    Com certeza minha mensagem vai estar entre as milhares que você deve receber, mas gostaria de dizer que estou apaixonada por você!
    (Calma! Eu li o texto de 1o. de abril todo! hahaha)
    É brincadeira! É só porque acho que não seria justo dizer que me apaixonei pela sua história somente. Eu me apaixono por pessoas mesmo, gente que vai a luta sem medo e que não se limita pelas circunstâncias.
    Ameeeei o seu blog e mais ainda as suas histórias.
    Como “vagamunda” (amei esse nome! haha) que também sou, sei que você só deve conseguir colocar em palavras um pedacinho daquilo tudo que vive.
    Infelizmente, não dá pra descrever com perfeição aquele momento em que a gente se pega andando na neve ou na areia e pensa: “como foi eu vim parar aqui?”. hahah.
    Temos em comum a paixão por viagens e pela Aviação!
    Eu sempre tive essa vontade louca de conhecer esse mundão de meu Deus, mas sabia que as condições financeiras não iriam me permitir ir muito longe. A vida me jogou na Aviação (pra resumir a história) e eu acabei virando comissária de voo. Conheci esse Brasil de Macapá a Porto Alegre e com recursos próprios viajei pra mais oito países sozinha (que você provavelmente já esteve).
    Aprendi inglês sozinha e fiz isso tudo sem nunca depender do dinheiro de ninguém, por isso me identifiquei tanto com você!
    Agora sou terráquea de novo, por circunstâncias mais sérias na família, mas tenho certeza que minha vida não se limitará a BH somente (mais isso em comum!).
    Enfim, queria que soubesse que sua história é uma inspiração e que vou ficar grudada no blog pra poder pegar dicas, seja pra ir pra Serra do Caraça, seja pra ir pra China.
    Grande abraço pra você e que Deus te abençoe em suas andanças!

    • Gusti 22/07/2014 at 01:13 #

      Poxa Amanda, muito bacana sua história também. São depoimentos como o seu que me ver como é positivo manter esse blog! Um grande abraço para você também e espero que sigamos em contato!

  34. Mariana 26/06/2014 at 16:01 #

    Oiii Gusti!!

    Você não sabe como seus relatos e fotos, descrições sobre viagens, e reflexões sobre a vida foram importantes para despertar de novo uma vontade de sonhar, uma vontade de viver. Então muito obrigada por seus relatos, me ajudaram e me ajudam muito! Continue escrevendo pq com certeza muitas outras pessoas ficarão felizes em ler seu blog, em acompanhar seu face! 🙂

    Beijos Beijos

    • Gusti 30/06/2014 at 20:49 #

      Ei Mari! Poxa, você não sabe como eu fico feliz de ouvir isso! 🙂

      Um beijão!

  35. Fabiano 20/06/2014 at 22:46 #

    Olá,
    Sou de São Paulo, pretendo tomar um tempo e viajar por um longo tempo. Não tenho muito dinheiro, nem sei por onde começar, mas estou disposto a tentar coisas novas e aprender bastante. Que conselho você daria? Como começar?
    Obrigado,
    Fabiano.

    • Gusti 23/06/2014 at 13:13 #

      Oi Fabiano! Estou escrevendo um guia para pessoas como vc, mas diria que o primeiro passo é planejamento, fuçar a internet e obter informações ajuda muito! Põe o seu e-mail na lista que assim que o guia estiver pronto vc vai ficar sabendo logo!

      Um abraço!

  36. Fabio 11/06/2014 at 13:15 #

    Muito bom, Gustavo. Gostei muito do seu blog. Serei leitor assíduo. Me interesso muito pela idéia de conhecer o mundo desta forma!! Parabéns!!!

    • Gusti 17/06/2014 at 13:06 #

      Oi Fabio! Que bom que gostou, Valeu! Vou cobrar sua assiduidade hein! hehe Um abraço!

  37. Ruan Casas 03/06/2014 at 19:00 #

    Gustavo, boa noite

    Me identifiquei muito com suas aspirações, quanto a liberdade de agir e buscar a felicidade em momentos e não em “coisas”, estou iniciando minha caminhada agora e espero atingir a amplitude que você expôs aqui no seu blog.
    Muito obrigado por compartilhar, com certeza que todos aprendem muito aqui neste espaço.

    Forte Abraço!

    • Gusti 04/06/2014 at 22:45 #

      Olá Ruan!

      Fico feliz que tenha se identificado! Bem vindo ao vagamundagem! Por favor, volte sempre e contribua sempre com seus comentários!

      Grande abraço!

  38. Marilia 20/05/2014 at 22:45 #

    Olá Gustavo!
    Encantada com seu estilo de vida e determinação para atingir seus objetivos!
    Profundamente magoada por saber que largou engenharia, afinal sou engenheira e sei o quão árduo foi o caminho da graduação hehehe
    Porém, admirada pela sua coragem e aonde ela te levou!!! Parabéns!
    Vou pra Tailândia e vim pesquisar umas dicas no seu blog! Acabei me apaixonando por vários outros lugares 🙂
    Obrigada por compartilhar isso com o mundo!
    Beijão e sucesso pra vc!

    • Gusti 28/05/2014 at 14:59 #

      Oi Marília! Que bom que gostou, fico realmente feliz em ler comentários como o seu e saber que tenho ajudado! Sim larguei a engenharia porque eu tinha um foco e um objetivo muito mais claro do que ser engenheiro mas bato muito as palmas para pessoas como você que persistiram, eu realmente sei o quanto é difícil!
      Volte sempre,

      Um abraço!

  39. joao cleido 29/04/2014 at 08:10 #

    Gustavo,
    Jamais imaginei uma experiência assim;admiro muito o seu espírito ansioso de conhecimento e fico pensando cá com os meus botões que eu sempre lutei para ter e depois de velho entendo que ser é o segredo.
    A nossa família valoriza ainda muito o ter e você indica,sugere e mostra que ser, como até consta nos dicionários ,vem antes do ter. U
    m beijo e um ABRAÇO.JOÃO CLEIDO.

    • Gusti 29/04/2014 at 08:14 #

      Oi Cleido,

      Sugerir e indicar que ser vem antes de ter é fácil, o difícil é mostrar, fico feliz que enxerga isso no meu exemplo, mas saiba que você sempre foi um cara que me instigou a refletir sobre essas coisas principalmente em uma época onde eu apenas pensava no futuro e no “ter”.

      Um grande abraço!

  40. Gabriel Travassos 01/04/2014 at 02:24 #

    Parabéns pela atitude que poucos teriam. Já fiz uma temporada num cruzeiro marítimo e sei mais ou menos o que é viajar e sentir a cada dia, um País diferente. burrei de pensar na família e a saudade me fez voltar pra casa. agora vivo novamente uma vida de pessoa alienada, onde estudo, vou me formar e viver pra trabalhar. é mole!? kkk

    • Gusti 02/04/2014 at 12:23 #

      Oi Gabriel,

      Muito obrigado! Deve ter sido bem interessante sua experiência, não? Tenho vontade de fazer isso um dia. Será que é difícil conseguir um emprego num cruzeiro? O importante é você ter consciência de onde vc se encontra e ficar atento para as oportunidades futuras. Boa sorte!

      Um abraço!

  41. Amanda Rangel 20/03/2014 at 22:38 #

    Ei Gustavo!

    Sempre vi umas fotos lindas e diferentes que você publicava no face, mas não sabia que você tinha um blog. Até que ontem eu vi uma publicação no facebook e resolvi ver que blog era esse. Hoje tive oportunidade de ler alguns posts e de saber um pouquinho da sua história! Muito inspiradora e louca (no bom sentido! hehehe). Parabéns pelo blog, pelas fotos incríveis e pela coragem de lutar pelos seus sonhos!

    Continuarei acompanhando suas aventuras!

    Abraços,

    Amanda

    • Gusti 20/03/2014 at 22:47 #

      Oi Amanda!

      Fico feliz que tenha chegado ao blog e ainda mais que tenha gostado! Espero mesmo de ver aqui de volta sempre! Adoro comentários, heheh

      Abraços!

  42. day 04/03/2014 at 15:23 #

    Linda essa tua realidade !

    • Gusti 09/03/2014 at 05:31 #

      É sim, mas têm várias pedras no caminho! (Ou no caminho tem várias pedras) 😛

  43. Caroline 12/02/2014 at 16:28 #

    Isso que eu chamo de viver! A P A I X O N E I , no seu blog e no seu jeito de levar a vida! Continue assim 🙂

    • Gusti 13/02/2014 at 09:08 #

      Oi Caroline!
      Se apaixonou tem que voltar com frequência hein! Será sempre bem vinda!
      brigado e um abraço!

  44. Ulisses 11/02/2014 at 11:12 #

    Caraca, que massa, empolgante demais.. mais um leitor assíduo por aqui.. Abraços

    • Gusti 11/02/2014 at 12:30 #

      Fala Ulisses! Que bom que gostou e seja bem vindo! Abraços!

  45. Lucas 04/02/2014 at 13:01 #

    Seria interessante saber o que você coloca na sua mochila! Imagino que se deve escolher sabiamente o que colocar lá dentro, como coisas realmente úteis e importantes…

    • Gusti 04/02/2014 at 17:10 #

      Lucas,

      Deveria, mas acredite ou não ainda estou para aprender direito o que levar na mochila. Eu SEMPRE levo coisa mais do que devo, e estou pouco a pouco aprendendo a levar menos e menos. Meu objetivo é levar no máximo 7kg (o limite da Air Asia, uma das companhias mais baratas do mundo).
      Mas é uma boa ideia de postagem! Valeu!

      • Lucas 04/02/2014 at 21:28 #

        Encontrem alguns guias pra mochileiros sobre o que colocar na mochila. O melhor e mais completo foi o seguinte, talvez você já até tenha visitado ele, mas senão, quem sabe ele não te ajuda em alguma coisa? http://www.travelindependent.info/whattopack.htm

        • Gusti 05/02/2014 at 02:12 #

          Lucas, eu comecei a ler esse guia e já gostei porque ele ensina a colocar tudo em uma mochila de 35-40L, meu objetivo é chegar aos 30L! Mas o meu maior desafio é a câmera com as lentes e o computador… Valeu por esse achado!

  46. Thiago LuisThiaguim 30/01/2014 at 17:42 #

    Fala Gu!! Já add seu site nos favoritos meu velho!
    Vou divulgar aqui, e em breve espero te encontrar nas mochilas da vida!
    Tb não estou disposto a ser mais um escravo da sociedade insustentável capitalista.

    • Gusti 31/01/2014 at 03:58 #

      Oi Thi, valeu! Já faz tempo que eu sei que vc é um vagamundo! A gente se ve pelo mundo! Um abraço!

      • Thiago LuisThiaguim 09/02/2014 at 14:54 #

        =]

  47. Luisa 29/01/2014 at 21:23 #

    Gust, seu facebook desapareceu! e todas as mensagens e tudo!

    • Gusti 30/01/2014 at 00:51 #

      Como assim? To lá ainda uai!

  48. SOLANGE 27/01/2014 at 21:51 #

    Que maravilha Gustavo, até parece que estamos viajando com você de tão intenso são seus depoimentos e que lugares mágicossss!!! Parabéns por tudo!

Me diga o que achou, deixe um comentário abaixo: