Onde estou agora: Nova Zelândia

Top

Uma aventura na Copa do Mundo – E um príncipe.

Mooooonstro! Foi o que eu gritei quando eu consegui me desfazer da escova de dentes que eu tinha na boca na hora que eu consegui ser aprovado para comprar 3 tickets para o jogo que começaria em um pouco mais de meia hora ali no estádio do Mineirão, pertinho da casa dos meus pais.

Monstro é o apelido carinhoso que eu chamo meu irmão mais velho. Junto com meu outro irmão Thiago, estávamos tentando comprar essas entradas desde 10 horas da manhã quando soubemos que a Fifa estava revendendo algumas sobras. Mas sempre que colocávamos as entradas no carrinho o site da Fifa dizia que não estava mais disponível e por 5 minutos esperávamos o sistema atualizar.

Um torcedor inglês com peruca e cara pintada no mineirão

Um torcedor inglês e eu no Mineirão

Sempre que eu falava que estaria no Brasil em Junho, me perguntavam: Para ver os jogos da Copa? Bem, não necessariamente, já que ver da televisão se pode ver de qualquer lugar do mundo. Eu realmente não esperava que teria a chance de ir a um estádio, ver ao vivo, sem o Galvão falando na orelha, mas para isso acontecer os desafios eram um pouco maiores.

De ingressos comprados, agora era só juntar às torcidas que passavam animadas pelas ruas e seguir caminhando para o Mineirão. Eu veria a vantagem de estar aqui pertinho do estádio pela primeira vez! Mas espera, não podemos imprimir os ingressos? Temos que retirar em algum lugar certo? No próprio estádio? Não, o único lugar é no shopping Boulevard, do ouuuutro lado do mundo, digo, da cidade. Para quem não sabe Belo Horizonte é uma cidade razoável com seus quase 3 milhões de habitantes e todo dia parece que ela vira uma mini-São Paulo com os congestionamentos. Qual a chance de conseguir pegar os ingressos e assistir o jogo todo? Nenhuma! Mas ainda assim não perdemos tempo. Meus irmãos pegaram a moto e desembestaram pelas pelas ruas para cruzar a cidade. Mas espera! “Volta, volta, volta, agoora! disse eu no telefone 5 minutos depois.” A compra tinha sido realizada no meu nome, eu que tinha que ir com minha identidade! E logo lá estava eu, na garupa do meu irmão, zunindo pelas ruas e torcedores em Belo Horizonte.

Torcedores e repórter costa riquenhos

Torcedores da Costa Rica animados no mineirão

Assim que saímos vi um helicóptero grande e preto pousando no Mineirão… Quem poderia ser? Espera…

Dessa vez não dava tempo nem de dar tchauzinho, aliás se eu tentasse acho que ficaria para trás com o meu irmão acelerando nas ruas. Algumas dezenas de minutos depois chegamos no shopping, desci da moto e desembestei para a estrutura da FIFA enquanto meu irmão me esperava na entrada do estacionamento para não perdemos tempo.

Imagina um bobo alegre correndo de capacete na cabeça segurando os ingressos na mão!

Montei na moto e quando meu irmão fazia um 180 para não ter que entrar no estacionamento, vem um segurança numa moto falando que a gente não podia fazer aquilo. A gente tentou explicar que não podíamos perder tempo dando volta no estacionamento, pegando ticket, pagando estacionamento, validando ticket. Mas entrou numa orelha e saiu na outra. Ele fechou com a moto a pequena entrada para voltarmos no outro sentido. Meu irmão acelerou para a próxima e lá veio ele impedindo que saíssemos do estacionamento. Discutimos um pouco mais e meu irmão decidiu ir pela contra mão mesmo, com o guardinha na nossa cola. Mas a pressa era tanta que ele ficou para trás e uns 20 minutos depois com o tráfego incrivelmente fluido chegamos em casa e saímos correndo para o estádio.

Com as entradas na mão, passamos as várias barreiras policias, militares, esquadrão de guerra, cavalaria, exército, forças armadas, guerreiros medievais, escravos da FIFA. Só paramos de correr para claro, tirar um selfie com o Mineirão de fundo. Estava ansioso para riscar da minha lista de coisas a fazer: Ver um gol ao vivo. Meu irmão até me chama de pé frio, porque de todas as vezes que estive em um estádio eu nunca tinha visto um gol acontecer, nunca! (Bem, também só estive em um estádio uma vez na vida, né…). Mas a chance era agora, cheguei no estádio com as torcidas vermelho e branco da Inglaterra e Costa Rica já vibrando dentro do estádio. A energia era contagiante, será que eu já tinha perdido um gol? Mas o placar ainda mostrava 0x0.

Não muito longe de onde sentamos vi um cara ruivo. Mas espera aí, é ele! Esse menino, um pouco mais velho do que eu, tinha marcado minha infância quando o presenciei ficar órfão de mãe. Lembro que senti muita pena dele e do seu irmão quando eu era bem pequeno. Foi a primeira vez talvez que eu me dei conta de que éramos todos vulneráveis e que a qualquer momento eu também podia perder um ente querido. Como eu ainda era um escravo mirim da televisão eu passei por todo o luto daquele acidente que mexeu com o mundo e a compaixão era grande. E agora ele estava ali, o filho de uma princesa, o príncipe Harry pertinho da gente, vibrando, comemorando, sentindo toda a energia de 60 mil pessoas e dos brasileiros que gritavam: “Eeeeu sou brasileeeeirooo, com muito orguuuulhoo, com muito amooooor…

É Harry, a gente mantém o sorriso no rosto, mas o placar final mais uma vez… zero à zero.

Jogadores da costa rica e inglaterra jogando futebol no mineirão

Algumas fotos que tirei dos lances da partida e a torcida inglesa

E com meus irmãos acompnhando uma partida da copa do mundo no Mineirão, Belo Horizonte

Eu e meus irmãos no Mineirão, ao lado de casa em Belo Horizonte, MG

Príncipe Harry, prefeito de Belo Horizonte e outras presenças ilustres no Mineirão durante um jogo da copa no Mineirão, Belo Horizonte, MG

Príncipe Harry, Marcio Lacerda e quem mais, alguém sabe? Dessa vez me senti um paparazzi

Torcedores e policiais miliares nas arquibancadas do mineirão

A segurança dentro e fora do estádio impressiona, se não assusta!

, , , , , , ,

11 Comentários à Uma aventura na Copa do Mundo – E um príncipe.

  1. Eline 26/06/2014 at 11:16 #

    Guguuu, me senti na garupa da moto com vcs, meus primos queridos!!! Que incrível!!! saudade de vcs!!!

    • Gusti 26/06/2014 at 11:48 #

      Que bom priminha! Saudades de vc também! Um beijão

  2. SOLANGE 25/06/2014 at 23:24 #

    Ops, consertando; VIDA, MORAMOS, BJIM

  3. SOLANGE 25/06/2014 at 23:20 #

    Legal demais suas doideiras,e junto William junio e Thiago Wallace. Na descrição até dava vontade de estar junto, fora os vídeos que são fantásticos. Mais uma etapa marcante e emocionate na estória de sua vidam afinal querendo ou não, a Copa do Mundo está aqui bem debaixo de nossos olhos, literalmente né, pois moramosds ao lado do Mineirão. BJOSSS

    • Gusti 26/06/2014 at 11:02 #

      Né! Só faltou dizer que na correria minha mãe ficava falando leva áaagua, leva biscoito, e acabou colocando numa sacolinha de plástico para gente levar pro estádio…. coisas de mãe! 😉 Te amo!

  4. Lucas 25/06/2014 at 23:12 #

    Até ai em casa você consegue arranjar aventura, hein Gusti! Belíssimas fotos! Abraços!

    • Gusti 26/06/2014 at 11:00 #

      Com certeza Lucas! Valeu! Abraços

  5. William Junio 25/06/2014 at 23:08 #

    Viver é legal!
    Passar momentos como esses (incríveis e inesperados) com vcs meus IRMÃOS é de mais!
    Viver, passar e ver tudo registrado nas suas câmeras e palavras meu little brother, é emocionante!
    SENSACIONAL!!!

    • Gusti 26/06/2014 at 10:59 #

      Monstro, sem vc essa experiência não seria possível! Valeu demais! 🙂

  6. Zig 25/06/2014 at 19:19 #

    Hehe, legal demais vc ter visto um jogo da Copa, eu aqui morrendo de vontade em ir em qualquer um. Agora vai ser mais difícil. :/

    • Gusti 26/06/2014 at 11:00 #

      Oh Zig, Daqui a pouco tem Rússia aí, começa a olhar passagem! 😉

Me diga o que achou, deixe um comentário abaixo: