Onde estou agora: Nova Zelândia

Top

Passando o reveillon em um avião, em direção à Espanha 2010/2011

 

España Jan2011

Pois é, 2011 chegou pra mim voando! Literalmente! A 900 km/hr com um favorável vento de calda, em algum lugar sobre o Oceano Atlântico. A sorte grande foi ter o cartão de milhas, já que o voo estava lotado e fui chamado nos alto-falantes do aeroporto para ser convidado a um up-grade de classe de cortesia. Minha poltrona, 1A, só faltava falar mas virar cama e fazer massagem já tava de bom tamanho…

Cheguei em Madrid as 7 da manhã do dia 1 do 1 de 2011. A cidade que dizem, nunca dorme, ainda estava em festa. No metrô, centenas de jovens destoavam seus cantos, seus auguros e gritos de feliz año nuevo. A cidade amanhecia, ainda em festa. No centro, paisagens, e praças centenárias era o plano de fundo daquela grande fiesta. No meio daquela farra, na Plaza de España, sancho pancha andava tranquilamente em seu burrico desviando de garrafas de destilado e tinha uma expressão em que se lia: “Esse bando de loucos, mais uma vez…”. Fiquei observando outras estátuas mais senis daquela cidade. Testemunhas de séculos após séculos. O que será que já presenciaram? Guerras, assassinatos, condenados da inquisição…O que será que aprenderíamos com elas? O que teriam a nos dizer? É, viajar faz o pensamento ir longe, as vezes longe até demais…

Mas uma daquelas figuras, uma velhinha, num canto de uma outra praça, cagada por pombo me disse o seguinte: “O grande problema do mundo, é que um ano, é tempo demais.” Tempo demais? Como assim? Perguntei. “É, são muitos dias filho. Vocês esperam 365 dias para no final de um dia fazerem o que tantos sábios como Jesus, Gandhi, Budha aconselham: Amar. Vocês abraçam os amigos, os inimigos… Somente nesse dia vocês parecem compreender que o outro é exatamente o que você seria, se você estivesse em seu lugar. Vocês parecem se perdoarem, desejam uns aos outros coisas lindas. Vocês refletem sobre o ano que passou, pensam em como poderiam ser diferente, se comprometem a ter uma nova atitude, se comprometem a evoluir.” Dizia a estátua com um olhar vago. “Parece que finalmente vocês se tornam humildes, se tocam e entendem que estão nesse mundo para aprenderem um pouquinho que seja por dia. Eu nunca tive a sorte que vocês têm de passar para o lado de lá, mas durante todos esses anos, eu vejo diariamente pessoas deixando suas casas, carros, roupas pra trás. Mas uma coisa é certa, não sei pra onde, mas o conhecimento, as lições, memórias e experiências que elas adquiriram nessa vida, sempre levam junto!” Pensei um pouco e quando eu entendi o que ela me dizia, fiquei sem palavras, assim estático, como uma estátua. E lá vinha uma pomba na minha direção, dei uma mexida e ufa!, evitei uma cagada. Me despedi da senhora estátua e corri pra estação.

4 horas de viagem me levariam pra Logroño, onde um amigo (cantor de opera que conheci em Nova York) me esperava com sua família. Sua mãe me recebeu com uma refeição que acho que não vou esquecer mais nunca. Ela preparou espargos com azeitonas. Estava uma delícia, mas pensei comigo mesmo: “Só isso de almoço?” Mas logo depois veio a surpresinha: Uma gigante tigela de sopa de alguma coisa que esqueci o nome mais massa e vegetais. Agora sim, aquilo tinha me enchido bastante. Mas logo depois veio a surpresona: Um prato gigante com 4 tipos diferente de carne mais batata. E foi assim que eu aprendi o que é entrada, primeiro prato, segundo prato, terceiro e por aí vai…

No dia seguinte viajamos para conhecer uma cidade medieval no país basco. Era exatamente como eu imaginava lendo os livros de história: No topo de uma colina, uma cidade toda feita de pedras, enrodeada por uma muralha com suas torres e catedrais católicas se sobrepondo na paisagem. De volta pra Madrid, fui pra casa de um amigo mexicano que já tinha me hospedado em Cancun. Caminhamos por horas em Madrid de noite, passando por incrivelmente bem iluminados palácios reais, estonteantes catedrais, parques e museus. No dia seguinte Madrid ficou pra trás com gostinho de quero mais. Mas o país que agora eu voglio benne, entrava em cena… Depois eu conto mais dessa piacevole experiência.

 

Um excelente dia novo pra vc que estiver lendo, e que cada dia na sua vida seja como um dia de ano novo!

, , , ,

2 Comentários à Passando o reveillon em um avião, em direção à Espanha 2010/2011

  1. Gust 08/05/2011 at 17:05 #

    Grande Beto!
    Valeu!! Pode deixar que foto é o que não vai faltar, hahah Abraços,

  2. Carlos 04/05/2011 at 16:00 #

    Grande Gustavo!

    Acompanharei, sempre que possível o seu site, e quando possível em tempo real! Entrarei aqui pelo menos uma vez ao dia, se meu dia permitir! Eu adoro aviação (novidade)! Já te add no meu favoritos! Grande Abrraço! Keep Flying! Obs. Muitas fotos, ok?

    Betão.

    Dear Gustavo, great friend!

    I’ll take your blog always possible! I love aviation ( ha, new). I added you to my favorites.Best regards, Betão. PS: Much pictures, OK?

Me diga o que achou, deixe um comentário abaixo: