Onde estou agora: EUA

Top

Respostas aos comentários de: “Gays, vocês são abomináveis”

Eu poderia escrever um texto “normal” para responder pastores e religiosos que usam versículos soltos na Bíblia, como se fosse a “palavra de Deus”. Eu poderia dizer: “Tudo é uma questão de contexto” ou “As passagens contidas em várias partes da Bíblia não faz sentido quando, literalmente aplicados nos dias atuais” ou “as coisas espirituais se discernem espiritualmente, um texto sem contexto é pretexto pra quem quer apenas defender o que lhe convém” ou “conheço a bíblia, mas sei que muitas pessoas utilizam trechos para usar como bem entender”.

Mas não, preferi usar a mesma linguagem deles para que todas essas frases acima viessem dos próprios cristãos como resposta ao texto: “Gays, escutem a palavra de Deus: Vocês são abomináveis”.

inferno

O inferno é apenas mais uma ferramenta para espalhar o medo e atrair fiéis.

Confesso que foi muito difícil escrever aquelas palavras e principalmente reproduzir os absurdos da tirania e violência muitas vezes inexplicáveis praticadas por “Deus” e seu povo no Antigo Testamento. Minha intenção foi de que a violência (e a ironia) absurda daquelas palavras fizessem refletir.

Eu estava ciente dos riscos. Postei o texto “nu e cru” sabendo o que Millor já dizia: “A ironia precisa ser explicada no Brasil”. Nunca foi minha intenção abalar a fé de ninguém, mas eu queria mostrar quantas pessoas não apenas morreram, mas sofreram (e ainda sofrem) quando são vítimas do homem com a Bíblia em punho dizendo que aquilo é “Palavra de Deus”.

A palavra do “nosso Deus” é a mesma dos jihadistas islâmicos:

Para desconhecimento e surpresa de muitos, essa mesma “palavra” é ensinada nos livros religiosos do judaísmo e do islamismo, compartilhamos do mesmo ancestral espiritual, Abraão e das mesmas histórias!

Nos horrorizamos quando vemos o que o Estado Islâmico está fazendo ao pegar um livro antigo e dizer que aquilo é palavra de Deus, mas eles seguem as mesmas instruções que está no livro em cima das nossas cabeceiras. A destruição de Palmira na Síria e o massacre de gente inocente é praticada seguindo exatamente as mesmas regras que encontramos no nosso Velho Testamento.

Quantos cristãos, que assim se denominam, realmente leram a Bíblia na sua totalidade?

Quando com medo de ir ao inferno aceitei Jesus como meu salvador na adolescência, a primeira coisa que fiz foi ler a Bíblia. Desde criança sempre fui um leitor ávido, e o que li nos testamentos me deixou angustiado, com medo. Eu queria que Deus me salvasse de toda aquela violência, mas eu não tinha certeza se queria ser salvo por aquele “Deus” e quando eu questionava tanto no catecismo da igreja católica, quanto nos grupos de estudos bíblicos crentes que participei, eu me sentia um monstro tocando numa ferida que ninguém parecia saber curar.

O que expus naquele texto pode até parecer frases isoladas, mas para quem leu a Bíblia toda sabe que não é. O Antigo Testamento é repleto de genocídio e massacres. E para ser mais preciso estudiosos contaram 158 episódios  na Bíblia em que “Deus” assassinou com o próprio punho um total de 25 milhões de pessoas nas estimativas “conservadoras” ou 2,821,364 em número literal.

Sei que muitos desses assassinatos são justificados na própria Bíblia por atos “pecaminosos” mas para muitos outros não se encontra uma única razão.

Os 10 mandamentos:

Um leitor comentou: “No antigo testamento temos 10 mandamentos que se praticarmos viveríamos sem violência e desrespeitos em geral…”. Será mesmo? E os casos de mutilação, estupro, tortura, genocídio de tribos vizinhas, escravidão que não somente passaram no filtro dos 10 mandamentos, mas foram cometidos sem peso na consciência pelo povo de Israel, o “escolhido” de Deus? Leia um exemplo em 1 Samuel 18 e veja o que Saul fez ao ouvirem cantarem: “Saul matou milhares; Davi, dezenas de milhares”.

E por falar em David, o famoso rei que tantos dão a glória nas igrejas, quem leu a Bíblia de verdade deve ter ficado no mínimo horrorizado de ver esse rei, com posse dos 10 mandamentos, matando, escravizando mulheres para seus desejos sexuais, mutilando! Quando finalmente “Deus” se zanga por uma coisa que ele faz (ordenar um censo!?) o que “Deus” faz é tão triste que não vou reproduzir aqui.

Já o rei Salomão, que eu venerava por ter escrito meu livro preferido na Bíblia, Eclesiastes, não matou tanta gente, mas me decepcionou quando soube que ele teve 700 princesas e 300 concubinas (1 Reis 11:3). Será que ele realmente teve tempo de escrever os Provérbios e o Eclesiastes?

Jesus e a “boa nova”:

Os exemplos são intermináveis, mas a boa notícia é que isso, como me respondeu muita gente, ficou para trás. O que pode parecer absurdo na Bíblia simplesmente pode ser um retrato de como as coisas eram antigamente e de como evoluímos! Jesus veio para trazer novidades e ele conseguiu mudar a dinâmica da violência que era tão brutal.

Reconheço que tanto o Talmud quanto o Novo Testamento vieram com ensinamentos que podem realmente fazer diferença na vida das pessoas, mesmo sabendo que foram escritos há mais de cem anos depois que os discípulos, os quais levam o nome, terem morrido.

Como me disseram alguns, Jesus veio para por fim nas antigas leis e isso está sim na Bíblia mas até aí há contradição já que também se fala no Novo Testamento que Jesus reforçou essas mesmas leis (Matheus 5:18 por exemplo).

Outras contradições e violência estão também presentes no Novo Testamento, mas evito explicitar porque sei que muita gente aqui vive com a paz interna de acreditar que Deus assassinou seu único filho para nos salvar. Não quero que ninguém deixe de acreditar nisso até porque essa fé não interfere com a vida das outras pessoas.

“Tocar na ferida” é importante sim!

Confesso que muito tempo fiquei quieto no meu canto sem me achar no direito de discutir a fé dos outros. Mas essa mesma fé começou a me incomodar quando eu vi vidas sendo afetadas ao ver “religiosos” isolando versículos bíblicos para suportarem suas opiniões e fazerem o papel que deveria ser do Deus, que elas acreditam, que é de julgar.

Hoje percebo a importância de abrir um diálogo, de realmente tocar na ferida, para que possamos refletir sim nos nossos dogmas e tradições e aprender a viver em amor, como Jesus mesmo ensinou, e não em medo e em ódio que infelizmente acaba alimentando também a causa das minorias.

A gente vê esse ódio refletido o tempo todo nos discursos dos homossexuais por exemplo, como nesse comentário: “Vai se f* você e seu post de lixo, aceita que dói menos”, que acabou sendo apagado quando percebeu-se que eu estava na verdade suportando a causa dele.

Igreja de Joana D'Arc

Local onde Joana D’Arc foi queimada pela igreja por seguir seu próprio coração. Rouen – França

Estamos no fim dos tempos?

E por último, para os que insistem em pregar sua religião impondo o medo, dizendo que o fim do mundo está próximo, que as profecias da palavra de “Deus” estão se cumprindo, estude um pouquinho de história para perceber o contrário, que (sei que isso é difícil de acreditar) vivemos em um mundo com muito mais paz que antigamente. Profecias cumpridas ou não, estão presentes em quase todos os livros religiosos.

Principalmente nós os mais jovens, sofremos gravemente de miopia histórica e não sabemos como era viver na terra algumas décadas atrás. Perguntemos aos nossos avós! O que era tradição há 50 anos por exemplo, hoje é um absurdo. Pense no Apartheid por exemplo, nas mulheres, que começaram a ser consideradas iguais aos homens muito recentemente.

Pense no massacre e assassinatos em massa cometido pela igreja não muito tempo atrás. Na escravidão, nos combates, na tortura judicial, na crueldade sistemática com os animais, nas punições sádicas. Pense nas centenas de pessoas que morriam nas fogueiras, eram decapitadas, em nome de “Deus” (eu seria um deles se esse texto tivesse sido escrito 200 anos atrás por exemplo). Protestantes, não pensem que essas são apenas crueldades católicas, procure saber quantas pessoas morreram nas mãos de Calvino e de Lutero.

A história ensina que questionar é o primeiro passo para promovermos mudanças. Essas barbaridades só deixaram de se tornar uma convenção social quando pessoas tiveram a coragem de questionar dogmas e tradições (a maioria religiosa) como na época do Iluminismo, por volta dos séculos 17 e 18.

Quando nos damos conta desse fato, questionando nossas “verdades” e tudo aquilo que somos forçados a acreditar desde crianças, podemos então viver tranquilos e com esperanças renovadas de que estamos no caminho da paz, pensando e agindo com amor.

Quem está do meu lado para dialogar, aprender e a viver com base no amor? Adoraria ler seu comentário!

, , , , , ,

14 Comentários à Respostas aos comentários de: “Gays, vocês são abomináveis”

  1. Aline 30/06/2017 at 11:33 #

    Havia feito uma crítica em um dos seus textos pois não acreditava no que estava lendo, porem diante da sua explicação, agora entendo a mensagem que estava tentando passar e compartilho da mesma opinião. Parabéns

  2. cristiano costa brandao 28/05/2016 at 23:03 #

    Boa Noite

    Comparar ‘ Jihadistas ‘ a ‘ Cristãos ‘ é realmente exagero ….o texto passa isso ( não só esse mas o outro complementar também ) .

    Disse muito e pouco escreveu….uma pena. É preciso posicionamento claro , sem espaço para meias-verdades. O que sugere que fez ( e olha , não sou fundamentalista cristão não ) .

    Se acaso o ‘ discurso ‘ LGBT ‘ ficasse somente na ” igualdade ” …seria ótimo! Não é o caso…..O caso é ‘ alteração ‘ total completa e irrestrita de conceito de identidade . Sim, identidade . A questão séria que envolve LGBT é a ” quebra de identidade pessoal ” A relativização do indivíduo completa…..

    Discussão ´séria e envolvente ‘ é necessário . Tenho amigos gays e não realizo ” discursos cristãos ” ( como você sugere ) que os que não ‘ pensam ‘ desse jeito ‘ precisam ouvir …nada disso . Diálogo é fundamental para que jamais se utilize ” o discurso do muro ” : você é careta pois não pensa NADA do que pensamos !

    Fora isso!

    Família é sim , homem e mulher…. Voce é de fisiologia distinta de uma mulher e logo , no mínimo há alguma ‘ controvérsia mental ‘ sua, pessoal para ” confirmar ” ou ” desconfirmar ” o que é……

    A diferença sempre existirá porém , como é ” colocada ” para que insistamos em crer que normal é…..pouco é . Tolero , mas pouco normal é .

    Há claramente uma militância um ‘ jihadismo ‘ LGBT para uma normalidade forçada ….Esse é o fato !

    • Gusti 12/06/2016 at 10:55 #

      Olá Cristiano,

      Meu posicionamento é bem claro, mas talvez você não entendeu a mensagem principal. Embora nem tenha tido a intenção de estender o tema, vi que você o fez no comentário ao citar o “discurso LGBT”, identidade de gênero, fisiologia, controvérsia mental e até minha vida pessoal. Pelo menos vi que o forcei a refletir, o que já está de bom tamanho nesse momento.

  3. Flavio Siqueira 24/11/2015 at 19:51 #

    Meu amigo, continue! Abração

  4. Paulo 22/10/2015 at 15:41 #

    Gustavo, sou pai de um casal de amigos que você uniu. Confesso que estou assustado com os comentários feitos por você, que confusão… Não sei de que lado você está. Sei que você é um homem inteligente e ainda tem tempo para adquirir novos conceitos da vida, embora a própria Bíblia diz que “muito conhecimento só traz enfado” (Ec 1:18). Um cristão não é fundamentalista dos ensinamentos do velho testamento (certamente todos já teríamos morrido), estes ensinamentos são referências às experiências bíblicas que mostram as suas consequências boas ou más. Os cristãos são os seguidores de Cristo (Atos 11:26) e de seus ensinamentos renovadores, mesmo nos dias de hoje. Como seria bom se todos colocássemos em prática independentemente da religião. Como cristão esterei orando por você. Apareça para nos contar as belas histórias das viagens. Abs.

    • Gusti 12/06/2016 at 11:05 #

      Oi Paulo,

      Me sinto honrado em ler o seu comentário aqui e me sinto na obrigacão de responder que estar de “um lado” pode ser na minha opinião o grande problema de se seguir “a palavra de Deus”. Afinal como Jesus, que admiro tanto, ensinou devemos estar em amor do lado de todos.
      E só um adendo direto do NOVO TESTAMENTO: “Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido.” Mateus 5:18. Infelizmente é de versículo como esse que muitos “cristãos” defendem suas ideais fundamentalistas. Tenho certeza (ou espero) que não é seu caso. Abraço!

  5. Sergio Sequeira 30/09/2015 at 01:25 #

    Gostei da ironia de seu primeito texto e da resposta sua às críticas, que agora li.
    A Bíblia é um texto difícil, que precisa ser contextualizaso.
    Para não complicar a análise, procuro simplificar seguindo o que Jesus diss: amar a Deus e ao próximo.
    Mesmo esse simples acima explicitado já é super complicado.
    Um grande abraço (nós nos conhecemos em Luan Prabang no Laos).
    Sigo suas aventuras e faço as minhas, mais caretas, com a Alice. Estamos agora em Kelowna, British Columbia no Canadá, cidade charmo síssima que nos surpreendeu positivamente.
    Abraços mais uma vez.

    • Gusti 02/10/2015 at 12:47 #

      Olá Sergio, que bom te ver por aqui! Vejo que vocês também seguem viajando o mundo, aproveitem!

      Abraços!

  6. Wilian Junqueira 29/09/2015 at 16:05 #

    É isto ai, Filho. Você a cada dia me surpreende positivamente.. Quando você escreveu o texto sobre esse tema na semana passada, fiquei meio que sem entender o motivo da ironia e cheguei até a escrever um comentário concordando com seu ponto de vista, com o mérito de suas ideias, mas discordado da forma como o fez, pois destoava de tudo que presenciei na sua trajetória de vida. Olha o que tinha escrito: “Filho, se você não estivesse tão longe, iria pensar que estava com a avó atrás do toco. Esse seu posicionamento não coaduna com sua personalidade. isso só em relação ao modo, não no mérito de seu pensamento. Quanto à bíblia, penso ser o maior ajuntamento de ideias e conceitos até hoje reunidos num só livro, motivo pelo qual tem seguidores e/ou defensores de toda espécie.Só de religiões e seitas ditas cristãs, as que nela buscam fundamentos para suas crenças, tem algumas dezenas, senão centenas, que aliás se digladiam entre sí, numa verdadeira concorrência nem sempre leal, procurando impor suas verdades.Se você pegar um Edir Macedo, por exemplo, que inaugurou recentemente uma réplica do Templo de Salomão em São Paulo, ele irá lhe provar que Jesus, o mais legitimo representante de Deus na terra, a despeito de ter sido também o mais podre, lhe deu credencial para ser um dos mais ricos homens de deus na terra, a custa da miséria e ignorância de milhões de “irmãos”. Outros há que provam pelas “escrituras” que a pobreza é uma grande virtude. Cada um pinça na bíblia o que lhe interessa, como você mesmo frisou, se arvora em dono da verdade, que não é única. Deixa pra lá. Toca sua vida com os valores reais do ser humano, que você os tem aos montes”. Finalizo hoje: eu não tenho a minha verdade mas há muito cheguei a uma conclusão, que expresso aqui sem nenhuma intenção de impô-la a ninguém, como não fiz em relação a você ou aos outros filhos. O homem criou os dois deuses, do velho e novo testamento, antagônicos entre sí. Como o velho já não funcionava mais por motivos óbvios, ou seja, a evolução natural do ser humano, criou-se também o novo, representado por Cristo, exatamente o oposto do velho. Um era mau e poderoso, o outro bonzinho e do perdão. Ambos pelo radicalismo, que vemos agora em relação aos gays, por exemplo, levaram às maiores atrocidades e matanças da humanidade.Hoje, pelo menos no que diz ao deus cristão, não há grandes carnificinas, mas em nome dele pululam líderes religiosos, que a custa dos mais frágeis, menos instruídos e mais necessitados, se enriquecem, tudo em nome de Jesus, que nada tem a ver com coisas materiais. São as contradições da “palavra de deus”, usadas à exaustão pelos espertalhões na busca da realização dos interesses pessoais. Seja feliz do seu jeito e esqueça os deuses humanos de conveniências. Abraço do Pai Wilian Oliveira Junqueira

    • Gusti 02/10/2015 at 13:00 #

      Oi Pai, pois é, esse texto é um complemento para aquele, onde minha voz desaparece como se minha avó estivesse atrás do toco mesmo! hehe Muito boas suas reflexões como sempre eu só tenho que agradecer pela sua posição de sempre de nunca impor nada, mas ensinar pelo exemplo! Sou seu fã!

      Abração!

    • Alexandre De HaMashiac 15/10/2015 at 09:13 #

      Eu só queria entender o que você quis dizer com a palavra “podre” quando se referiu a Jesus ?

  7. solange 29/09/2015 at 00:07 #

    Gust, é de admirar tantos acontecimentos vividos através dos tempos por causa de um nome tão dominador e expressivo, e ao mesmo tempo tào assustador. Este nome se tornou a arma em punho para muitos. como se a própria personalidade fosse traçada e dominada por ela. as pessoas viviam e vivem sem identidade própria. pois tudo tem que ser baseado nela. A Bíblia, qu ao meu ver , é muito importante, mais não a ponto de provocar discórdia. Muito oportuno verdadeiro e lógico polêmico seus comentários. na realidade estávamos precisando desta luz para abrirmos realmente os olhos, a alma e o coração para uma vida mais plena e sem hipocresia. seria muito mais simples no mundo atual ser simlesmente do bem. ajudar ao próximo, e sim seguir os preceitos de Deus! Amar sempre ao próximo como a si mesmo. resume toda trajetória de uma vida que todos nós queremos e com isto consequentemente viver a tão sonhada PAZ..
    PARABÉNS PELA SUA CULTURA E DISERNIMENTO COM SABEDORIA,

    • Gusti 02/10/2015 at 13:21 #

      Verdade, e insisto: Doeu ter que escrever daquela forma, mas as vezes é necessário cutucar na ferida para podermos refletir!
      Beijão!

Me diga o que achou, deixe um comentário abaixo: